A gripe é boa para os antigripais

Estadão

22 Julho 2010 | 19h33

Dados inéditos da IMS Health, uma das principais consultorias do ramo farmacêutico, apontam que a epidemia de gripe suína do ano passado foi boa no Brasil para o mercado de antigripais, remédios que têm venda livre no País, sem a necessidade de receita médica, e que apenas aliviam sintomas como a febre e congestão nasal.

Entre 2008 e 2009 a venda dos medicamentos cresceu 21,5%, mesmo com a decisão da Anvisa de suspender os comerciais para que a população deixasse de se automedicar e procurasse o médico diante dos sintomas de gripe _que são praticamente idênticos no caso de gripe suína e gripe comum. Entre 2007 e 2008 o volume de vendas tinha caído 3,9%, mostra o levantamento feito a pedido do Núcleo de Saúde.

O blog questionou a Anvisa e o Ministério da Saúde sobre a permissão para as propagandas neste ano. Primeiro o ministério disse que continuavam suspensas. A Anvisa disse que não, diante da mudança da realidade epidemiológica da gripe suína. No fim, ambos concordaram e o ministério informou que a situação epidemiológica atual não justifica a suspensão.

Neste ano 675 casos de gripe suína já foram registrados e 84 pessoas morreram. No ano passado, mais ou menos nessa época, o governo registrava pela primeira vez a circulação do vírus no Brasil e contabilizava onze óbitos. No entanto, agora, os sistemas de detecção podem estar preparados para “pegar” o novo vírus, talvez.

Ainda segundo a pasta, a tendência atual é de queda das doenças respiratórias. A proporção de doença respiratória aguda, que pode indicar a gripe suína, continua de baixa a moderada. E o atendimento de doença respiratória está inferior ao esperado. Efeito da campanha de vacinação. Espero que continue assim e os antigripais não atrapalhem.

Dados preliminares de uma pesquisa telefônica do Ministério da Saúde sobre condições de saúde, o Vigitel, apontam que de 25.985 pessoas ouvidas, 7.947 (31%) afirmaram ter apresentado sintomas de gripe nos últimos 30 dias. Destes, somente 26% procuraram o médico, que em 66 casos (3%) apontou suspeita de gripe suína. Em 39% desses últimos casos foi prescrito o oseltamivir, antiviral que combate o vírus A(H1N1), única droga que tem algum efeito comprovado sobre a doença.

O carateca quebrando ao meio os sintomas da gripe e a criança respirando aliviada, ambos personagens de propagandas de remédios antigripais, estão de voltar com o frio. Você acha que eles ajudam ou atrapalham?

Fabiane Leite é repórter da área de saúde desde 1999, dedicada principalmente à cobertura de temas de interesse da saúde pública e dos planos privados de saúde. Trabalhou no Jornal da Tarde, Folha Online, Folha de São Paulo e atualmente é repórter da seção Vida do jornal O Estado de São Paulo. Acredita que a saúde é o princípio básico para a felicidade.