A última campanha de Zilda

Estadão

13 Janeiro 2010 | 18h02

“Dormir de barriga para cima é mais seguro!” Assim dizia a última mobilização criada por Zilda Arns e sua Pastoral da Criança, entidade que desde o início dos anos 80 ajuda a mudar a evolução dos índices de saúde no Brasil.

O simpático bebezinho com o slogan “este lado para cima” tenta convencer as mães brasileiras de que dormir nesta posição é mais seguro para evitar a temida morte súbita, mal sem causa definida que acomete menores de 1 ano durante o sono. Estudos apontam que dormir sobre o abdômen pode prejudicar a respiração. Além disso, se o bebê vomitar, de lado ou de bruços, poderá aspirar o líquido e sufocar sem ser ouvido. De barriga para cima, a aspiração torna-se mais difícil e as reações ruins da criança são mais fáceis de notar.

O Brasil foi um dos últimos países a adotar a recomendação médica. Além da resistência cultural das mães, os próprios pediatras brasileiros debateram durante anos até decidirem referendar a medida no fim do ano passado. A campanha da pastoral não esperou o fim da polêmica e começou a espalhar a mensagem antes mesmo do consenso nacional dos pediatras brasileiros.


Entre outros feitos, Zilda e a pastoral foram responsáveis ainda por difundir o famoso soro caseiro (um punhado de açúcar e uma pitada de três dedos de sal em um copo de água filtrada ou fervida), fórmula que foi essencial para combater as diarreias infantis, importante causa de mortalidade dos pequenos há alguns anos no Brasil. A história da pastoral, aliás, começa exatamente em razão da necessidade de difundir o soro, como relata a própria médica em seu

Documento

, proferido no Haiti.

“Eu vim para que todos tenham vida e a tenham em abundância”. O versículo bíblico que é o slogan da pastoral resume o que representou a atuação de Zilda para a saúde brasileira.