Luz azul melhora concentração e diminui sonolência

Giuliana Reginatto

05 Fevereiro 2014 | 00h14

Cientistas norte-americanos descobriram que a exposição a uma luz de cor azul pode melhorar a atenção e a concentração tanto durante o dia quanto no período da noite. O estudo, descrito na edição de fevereiro da publicação científica Sleep, foi realizado pelo Hospital Brighan and Women, ligado à Universidade Harvard, nos Estados Unidos.

“Nossa pesquisa anterior havia mostrado que a luz azul era capaz de melhorar o estado de alerta durante a noite, mas os nossos novos dados demonstram que esses efeitos também valem para uma exposição diurna”, diz Shadab Rahman, um dos autores do trabalho.

No estudo, os pesquisadores compararam as diferenças entre os efeitos da luz verde e da luz azul em 16 pessoas, por seis horas e meia. Depois do experimento, os voluntários passaram por testes de reflexo para avaliar o nível de sonolência e, durante a exposição à luz, usaram eletrodos para detectar mudanças nos padrões de atividade cerebral.

Os pesquisadores descobriram que os participantes expostos à luz azul se classificaram como menos sonolentos, tiveram tempos de reação mais rápidos e também menos lapsos de atenção durante os testes de desempenho em comparação com aqueles que foram expostos à luz verde. Eles também mostraram alterações nos padrões de atividade cerebral que indicavam um estado de alerta mais acentuado.

“Esses resultados contribuem para a nossa compreensão de como são os impactos da luz para o cérebro e abrem um novo leque de possibilidades para o uso do recurso para melhorar a agilidade humana, a produtividade e a segurança”, explicou o neurocientista Steven Lockley, pesquisador sênior do hospital. “Ajudar a melhorar o estado de alerta em trabalhadores noturnos é algo que tem benefícios óbvios de segurança. E os trabalhadores do turno diurno também podem se beneficiar de uma melhor qualidade de iluminação”, completou.

* Os autores declararam, no estudo, que não há conflitos de interesse envolvidos no trabalho.