Outubro Rosa e o câncer de mama

Simone Iwasso

12 Outubro 2012 | 21h10

Acho curioso escolher alguma data para qualquer coisa, mas entendo a importância delas – principalmente para servir como foco de atenção para determinados temas. Nesse caso, o mês é agora, outubro, e o tema o câncer de mama – o que ainda mais mata mulheres no Brasil e no mundo (de todas as idades, raças e classes sociais).

O lado positivo de ser um câncer tão comum é que também é um dos mais estudados pela medicina. Justamente por isso, os avanços nas últimas décadas no tratamento foram enormes – tanto na parte genética, de identificação de tipos de tumores e resposta a quimioterápicos específicos, quanto na parte de exames de diagnósticos (exames de imagem com resoluções melhores, que permitem identificar tumores menores) e também na técnica cirúrgica e de reconstrução das mamas. Hoje, quando há indicação de mastectomia, é possível reconstruir as mamas na mesma cirurgia – um direito, infelizmente, que as mulheres que dependem do Sistema Único de Saúde ainda batalham muito para conseguir ter acesso.

De acordo com o presidente da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica (SBOC), Anderson Silvestrini, quando o câncer de mama é detectado tardiamente as chances de sobrevivência das mulheres  é de apenas 30%, disse. Quando esse diagnóstico é feito precocemente, a sobrevivência fica em torno de 80% a 90%.  Por isso, é importante, muito importante, fazer exames preventivos – mesmo que, no fundo, toda mulher tenha medo do resultado. É sempre melhor saber do que não saber.


Bom, em resumo, acho que informação nunca é demais, portanto aqui vai um guia bem resumido e simples, do Hospital A.C. Camargo, com informações sobre o câncer de mama:

O que causa o câncer de mama?
O câncer de mama é causado por alterações genéticas, estas alterações podem ser estimuladas por fatores ambientais como: tabagismo, uso de hormônios (TRH – terapia de reposição hormonal), inicio da menstruarão em idade muito jovem, menopausa em idade mais tardia, menor numero de gravidez e gravidez em idade cada vez mais tardia, excesso de peso e ingestão de bebida alcoólica ou também por fatores genéticos.

Quais os principais tipos de câncer de mama?
•    Carcinoma ductal in situ – consiste em um câncer de mama em fase inicial, que a principio, não teria capacidade de desenvolver metástase

•    Carcinoma ductal invasivo – é o tipo mais comum de câncer de mama. Apresenta capacidade de desenvolver metástase

•    Carcinoma lobular invasivo – é o segundo tipo mais comum de câncer de mama e está relacionado ao risco de desenvolvimento de câncer de mama na outra mama e também ao câncer de ovário. Apresenta a possibilidade de desenvolver metástase.


Quais são os tipos de lesões pré-cancerígenas?

As lesões mamárias que predispõem a câncer de mama são:

•    Carcinoma Lobular in situ ou Neoplasia Lobular.

•    Hiperplasia ductal atípica

•    Hiperplasia lobular atípica

Quais os sintomas do câncer de mama?
O sintoma mais comum de câncer de mama é o aparecimento de um caroço. Nódulos que são indolores, duros e irregulares têm mais chances de ser malignos, mas há tumores que são macios e arredondados. Portanto, é importante ir ao médico. Outros sinais de câncer de mama incluem:

•    Inchaço em parte do seio
•    Irritação da pele ou aparecimento de irregularidades na pele, como covinhas ou franzidos, ou que fazem a pele se assemelhar à casca de uma laranja
•    Dor no mamilo ou inversão do mamilo (para dentro)
•    Vermelhidão ou descamação do mamilo ou pele da mama
•    Saída de secreção (que não leite) pelo mamilo
•    Dor no mamilo ou inversão do mamilo (para dentro)
•    Um caroço nas axilas

Quais os tipos de biopsias disponíveis?
•    As biopsias mamárias são indicadas quando temos alguma alteração no exame clinico ou quando encontramos alterações nos exames de imagem. Os principais tipos são:

•    Punção aspirativa de agulha fina (PAAF)  – utilizada principalmente para a aspiração de cistos podendo ser utilizada para avaliação de nódulos

•   Biopsia de agulha grossa ou core biopsy – utilizada principalmente para nódulos sólidos maiores de 5 mm

•   Mamotomia – utilizada principalmente para áreas de microcalcificações. Permite a colocação de clipe metálico na mama

•   Biopsia cirúrgica – consiste na realização de ressecção por meio de cirurgia. È utilizada quando a lesão é  suspeita de câncer (BIRADS 5), quando as outras modalidades de biopsias forem inconclusivas ou quando se tem área de microcalcificação muito extensa

E, muito importante, o que cada mulher pode fazer é tentar controlar hábitos que sabe-se que estão relacionados com a doença, como controlar  o peso, praticar atividade física, evitar ingestão de bebidas alcoólicas e tabagismo.

Imagem do Congresso iluminado em homenagem ao Outubro Rosa

Mais conteúdo sobre:

câncermamaoutubro rosa