Nilton Fukuda/AE
Nilton Fukuda/AE

77% dos usuários de planos de saúde têm queixas do atendimento

Dados são da Associação Paulista de Medicina; entidade lançou serviço telefônico de orientação e denúncia

Bruno Deiro,

15 Agosto 2012 | 18h13

 Um estudo divulgado nesta quarta-feira pela Associação Paulista de Medicina (APM) aponta que 77% dos usuários de planos de saúde no Estado de São Paulo já enfrentaram problemas no atendimento. Entre os que procuraram um pronto-socorro, 72% têm queixas.

A entidade, que cobra melhor remuneração dos médicos por parte das operadoras, lançou um serviço telefônico gratuito de orientação e denúncia, em parceria com a Associação Brasileira de Defesa do Consumidor.

O serviço atenderá reclamações de todo o País pelo número 0800-2004200. Além de esclarecimentos, a ideia da APM é formar um banco de dado mais preciso sobre a situação da rede de atendimento dos planos.

No estudo com 804 usuários paulistas, 64% tiveram problemas na consulta, a maior parte por causa da demora no agendamento. Entre os que reclamaram do atendimento em pronto-socorro, 67% apontaram superlotação nos hospitais e 51% da demora para serem atendidos.

A entidade anunciou uma paralisação do atendimento a alguns planos no próximo dia 6.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.