Divulgação/Instituto Gustavo Rosa
Divulgação/Instituto Gustavo Rosa

Ala infantil no HC terá decoração com obras do pintor Gustavo Rosa

Unidade de Nefrologia recebe a partir desta quarta reproduções de 30 pinturas para crianças que passam por sessões de hemodiálise

O Estado de S.Paulo

17 Agosto 2016 | 03h00

SÃO PAULO - A partir desta quarta-feira, 17, a Unidade de Nefrologia Pediátrica do Instituto da Criança do Hospital das Clínicas estará mais colorida. O Departamento de Hemodiálise terá reproduzida nas paredes dos quartos e corredores 30 telas do pintor Gustavo Rosa, falecido em 2013. O objetivo da instalação das telas lúdicas é usar a arte como instrumento de humanização, beneficiando o tratamento dos pacientes.

O departamento mantém atualmente 20 pacientes fixos, que se submetem ao tratamento ao menos três vezes por semana, com duração de quatro horas por sessão. Por mês, são cerca de 400 sessões de hemodiálise. O projeto foi denominado “Bolsa Alegria”, uma iniciativa do Instituto Gustavo Rosa, inaugurado no fim de junho e que visa a preservar a obra do artista.  

A médica responsável pelo departamento, Andreia Watanabe, apoiou a iniciativa. “A iniciativa de colorir o ambiente, trazer a arte e aplicá-la no espaço em que são realizadas as sessões de hemodiálise tornará o ambiente mais alegre e confortável, ampliando os horizontes pessoais e trazendo leveza, sorrisos e bem-estar à jornada dos nossos pacientes, acompanhantes e colaboradores." 

Roberto Rosa, irmão e herdeiro do artista, apontou que a ação segue os objetivos do instituto, como o acesso da obra do autor à sociedade. “Conhecedores de projetos bem-sucedidos dessa natureza, adaptamos o projeto de pesquisa elaborado pelo Chelsea and Westminster Hospital Arts, que constatou os benefícios da aplicação das artes visuais e performáticas nos cuidados com a saúde, reduzindo estresses e melhorando, significativamente, as condições físicas e psicológicas das equipes médicas e de enfermagem, pacientes e familiares, com redução, na ponta final, dos custos com os tratamentos”.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.