América Latina reforça liderança mundial em energias renováveis

Ex-presidente da Costa Rica, José María Figueres, destacou o trabalho de países como Brasil e Chile, onde as políticas governamentais foram um fator-chave para que os políticos e empresários entendessem a urgência desses temas

Efe,

23 Fevereiro 2011 | 05h03

MIAMI - Com 30% da produção de energias renováveis, especialmente biomassa, a América Latina se encontra na vanguarda do setor no mundo, disse nesta terça-feira, 22, em Miami o ex-presidente da Costa Rica José María Figueres em um fórum sobre novas fontes de energia.

 

Figueres destacou o trabalho de países como Brasil, Costa Rica, México e Chile, onde as políticas governamentais foram um fator-chave para que os políticos e empresários entendessem a urgência deste temas.

 

"O tema é muito importante, porque vivemos em um mundo com recursos limitados, sobretudo em hidrocarbonetos. Vamos seguir tendo (hidrocarbonetos) durante os próximos 20 ou 30 anos, mas não além disso, e cada vez mais a um preço maior. Por isso, quanto mais rápido realizarmos a mudança total à utilização de energia renovável, melhor para todos", assegurou Figueres.

 

O ex-presidente também destacou as condições topográficas da região, favoráveis à exploração de fontes alternativas de energia. "A América Latina tem um grande potencial para desenvolver energia eólica e geotérmica, porque temos muitos vulcões", afirmou.

 

De acordo com Figueres, o importante é contar com redes de distribuição inteligentes que permitam que a energia chegue a todos os pontos da região, que tem 35 milhões de pessoas ainda sem acesso a nenhuma fonte de energia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.