Assine o Estadão
assine

Saúde

ANS

ANS decreta fim da Unimed Paulistana

Beneficiários têm 30 dias para migrar para outros planos do Sistema Unimed ou de qualquer outra operadora de plano de saúde

0

Luci Ribeiro,
O Estado de S. Paulo

01 Fevereiro 2016 | 12h37

BRASÍLIA - A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) publicou no Diário Oficial da União (DOU) resolução que decreta a liquidação extrajudicial da operadora Unimed Paulistana. Na prática, a medida encerra o processo de retirada definitiva da empresa do mercado de planos de saúde.

Também na edição desta segunda-feira, 1º, do DOU, a ANS publicou outra resolução, esta para prorrogar por até 30 dias o prazo para que os beneficiários da Unimed Paulistana exerçam a portabilidade extraordinária de carências.

Com isso, explicou a ANS em nota, eles podem escolher um dos planos disponíveis no Sistema Unimed ou buscar produtos em qualquer operadora de plano de saúde, sem necessidade de cumprir novos períodos de carência. Os beneficiários remanescentes da operadora podem fazer a portabilidade, independentemente do tipo de contratação e da data de assinatura dos contratos.

"Vale lembrar que o beneficiário que estiver cumprindo carência ou cobertura parcial temporária na Unimed Paulistana pode exercer a portabilidade extraordinária de carências sujeitando-se aos respectivos períodos remanescentes na outra operadora escolhida. Caso o plano de destino possua a segmentação assistencial mais abrangente do que o plano em que o beneficiário está vinculado, poderá ser exigido o cumprimento de carência no plano de destino somente para as coberturas não previstas no plano de origem", alertou a ANS.

Dívida. Com uma dívida em torno de R$ 2 bilhões, a Unimed Paulistana teve de transferir seus 744 mil beneficiários por determinação da ANS em setembro do ano passado. A agência disse que foram identificados problemas administrativos e financeiros na operadora.

Ainda naquele mês, a Unimed Paulistana assinou um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com o Ministério Público Federal, Ministério Público Estadual, Procon-SP, ANS, Unimed do Brasil e as operadoras Unimed Fesp, Unimed Seguros e Central Nacional Unimed, que assumiram os clientes da operadora, para garantir a transferência de beneficiários de planos individuais/familiares e coletivos com menos de 30 vidas, beneficiando 155,3 mil clientes. Em novembro, a medida foi ampliada para todos os contratos. Nenhum beneficiário precisa cumprir carência.

Em nota, a Unimed do Brasil confirmou a liquidação extrajudicial e solicitou que os beneficiários " realizem a migração o mais rápido possível para assegurar o atendimento por meio de outros planos de saúde". /COLABOROU PAULA FELIX

Mais conteúdo sobre:

Comentários