1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Anvisa aprova novo medicamento contra a obesidade

- Atualizado: 02 Março 2016 | 21h 12

O Saxenda, que tem como princípio ativo a liraglutida, deve chegar ao mercado no segundo semestre, no formato injetável

Remédio imita ação de substância naturalmente produzida pelo corpo que reduz o apetite

Remédio imita ação de substância naturalmente produzida pelo corpo que reduz o apetite

BRASÍLIA - Um novo remédio para tratar a obesidade em adultos foi aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) nesta semana. O Saxenda, que tem como princípio ativo a liraglutida, deve chegar ao mercado no segundo semestre, no formato injetável, sob preço de aproximadamente R$ 400.

A liraglutida é também a base do medicamento Victoza, já utilizado no Brasil para tratar diabete tipo 2. Ambos são produzidos pelo laboratório dinamarquês Novo Nordisk. O Saxenda imita a ação de uma substância naturalmente produzida pelo corpo, a GLP1, que reduz o apetite.

Até então, só havia no Brasil dois remédios aprovados para o tratamento da obesidade: a sibutramina e o orlistar, registrados pela Anvisa em 1998. A Anvisa destaca que o fármaco é um tratamento “auxiliar” para o controle do peso em adultos e, sendo assim, é preciso associá-lo a uma dieta baixa em calorias e à prática regular de exercícios físicos. A segurança do produto continuará sendo monitorada com estudos pós-comercialização, informou a agência.

O GLP-1 é um regulador fisiológico da ingestão de calorias. Seu receptor está presente em várias regiões do cérebro envolvidas com a regulação do apetite. O remédio é recomendado para adultos com IMC maior que 30 - porém, se houver outro problema de saúde relacionado ao excesso de peso (como diabete ou hipertensão), pode ser utilizado em pessoas com IMC acima de 27.

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em SaúdeX