Acervo
Acervo

Anvisa deve decidir sobre vacina contra a dengue até o fim do mês

Butantã pede a liberação da fase 3 de pesquisas; mesmo que liberada, instituto não poderá usar a vacina de forma abrangente 

Lígia Formenti, O Estado de S. Paulo

04 Maio 2015 | 19h11

BRASÍLIA - A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) deverá responder até o fim do mês o pedido para a liberação da fase 3 das pesquisas da vacina contra a dengue, feito pelo Instituto Butantã no dia 10 de abril. De acordo com a agência, os prazos estão em dia. 

A Anvisa afirmou ainda que, mesmo que liberada a nova etapa de estudos, o Butantã não poderá antecipar o uso da vacina de forma abrangente entre a população. "A solicitação feita pelo Butantã em nenhum momento faz tal tipo de solicitação. O uso experimental da vacina terá de ser feito em voluntários, que terão de ser acompanhados, como ocorre em todas as pesquisas nesta fase", informou a agência. 

A agência tem um prazo de 45 dias para fazer a análise de pedidos para uma nova etapa de pesquisa, em casos considerados prioritários. Essa condição diferenciada foi dada para a vacina da dengue desenvolvida pelo Instituto Butantã, a pedido do próprio laboratório. O instituto, no entanto, ainda não concluiu a fase 2 de estudos. O fim desta etapa está previsto para o fim de junho. 

Em nota, a Anvisa afirma não haver nenhum atraso nos prazos da avaliação da vacina do Butantã. "O atual estágio de desenvolvimento da vacina do Butantã encontra-se menos adiantado que outras empresas por razões que cabem ao próprio instituto", informou a Anvisa, por meio de nota.

Além da vacina do Butantã, a Anvisa analisa o pedido de outro imunizante contra a dengue. Desenvolvida pela Sanofi, a vacina já concluiu a fase 3, iniciada em 2010. Neste momento, a Anvisa avalia o pedido de registro do produto no País.

Mais conteúdo sobre:
dengue Anvisa Instituto Butantã

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.