GUI GOMES/ESTADAO
GUI GOMES/ESTADAO

Anvisa proíbe venda de paçoca por alto teor de substância cancerígena

Lote do produto continha teor acima do limite de aflatoxinas; interdição vale para todo o território nacional

O Estado de S. Paulo

20 Março 2017 | 19h33
Atualizado 20 Março 2017 | 22h19

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) interditou nesta segunda-feira, 20, um lote de paçoca rolha da marca Dicel, produzida em Goiânia (GO). Os produtos interditados excediam o limite permitido de aflatoxinas, substâncias tóxicas produzidas por fungos que podem causar câncer.

Segundo a resolução, o lote 0027, fabricado em 18 de novembro do ano passado, com validade até 18 de novembro deste ano, estava impróprio para o consumo. O alimento é distribuído pela Indústria e Logística Westhonklauss Constante Ltda.

O laudo do Laboratório de Análise Micotoxicológicas, em Santa Maria, no Rio Grande do Sul, atestou teores de aflatoxinas acima do limite máximo tolerado para amendoim com casca, descascado, cru ou tostado, pasta de amendoim ou manteiga de amendoim.

A interdição vale para todo o território nacional.

Por e-mail, a empresa disse que recebeu com surpresa a informação de que um dos produtos da Dicel está fora de conformidade e que não foi notificada pela Anvisa. A Dicel informa, ainda, que prima pela qualidade de sua linha de produtos e que seguirá as devidas orientações da Anvisa.  

Encontrou algum erro? Entre em contato

0 Comentários

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.