Anvisa vai inspecionar voos de mais 3 países infectados

Voos procedentes do Reino Unido, Espanha e Nova Zelândia também serão avaliados a partir de agora

CAROLINA RUHMAN, Agência Estado

28 Abril 2009 | 19h40

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informou nesta terça-feira, 28, que os voos procedentes do Reino Unido, Espanha e Nova Zelândia também serão inspecionados por uma equipe da agência e por médicos da Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero) para a identificação de pacientes com sintomas de gripe suína. Até agora, apenas os voos vindos do México, Canadá e Estados Unidos estavam sendo avaliados. A decisão foi tomada durante reunião da Anvisa com representantes das companhias aéreas, da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e da Infraero no Aeroporto Internacional de Cumbica, em Guarulhos, na Grande São Paulo.  

 

Veja também:

blogBlog Núcleo de Saúde: respostas sobre a gripe

linkConheça as medidas anunciadas pelo mundo contra a gripe suína

linkEspecialista pede cuidado com números da gripe suína

documento Folheto oficial do Ministério da Saúde

especialEntenda a doença e saiba como ela é transmitida

especialVeja como é a ação do vírus H1N1

mais imagens Galeria: Gripe Suína

Na reunião, também ficou acordado que resíduos sólidos provenientes de aeronaves procedentes dos países citados serão classificados como resíduos do tipo A, ou seja, potencialmente infectantes. O descarte desses resíduos passará por procedimentos de fiscalização antes que seja definido o seu destino. Em procedimento normal, os dejetos são descartados em aterros sanitários.

Representantes da Anac e da Infraero também definiram hoje a obrigatoriedade da veiculação de informes sonoros a bordo da aeronaves vindas de áreas afetadas pela gripe. Eles irão esclarecer os passageiros quanto aos procedimentos que devem tomar na chegada ao aeroporto. A determinação será oficializada por meio do Comando da Aeronáutica e da Anac.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.