REUTERS/Mike Segar
REUTERS/Mike Segar

Aplicativo conecta paciente a pronto-socorro com menos filas

O SOSPS - Pronto-Socorro, da empresa Healthier Internet, também leva em consideração o tempo gasto no deslocamento

Renata Okumura, O Estado de S. Paulo

15 Março 2017 | 20h43

A espera por um atendimento de saúde é sempre desgastante. Pensando nisso, o recém-lançado aplicativo, SOSPS - Pronto-Socorro, da empresa Healthier Internet, ajuda a calcular o tempo de espera para chegar e ser atendido em um hospital particular. O co-fundador da Healthier Internet, Rafael Urbach, alerta que o aplicativo é direcionado para casos que não sejam de urgência ou emergência. “Casos prioritários têm atendimentos diferenciados. E o aplicativo é para aquela pessoa que não está se sentindo bem, mas pode aguardar para ser atendida. O objetivo é proporcionar mais comodidade para quem precisa deste tipo de atendimento”, esclarece Urbach.

A ferramenta monitora, em diversos momentos do dia, hospitais privados de São Paulo, Santo André, São Bernardo do Campo, São Caetano do Sul, Osasco, Guarulhos e Barueri. “Sírio Libanês, Santa Catarina e Oswaldo Cruz são algumas das trinta e cinco unidades médicas hoje monitoradas. “Um fator determinante na escolha do hospital é o tempo de deslocamento”, explica Urbach.

Atualmente, a plataforma conta com dois mil usuários. “Hoje o serviço monitorado é o de Pronto-Socorro e Pronto Atendimento Clínico Adulto e Infantil.  A gente monitora em tempo real, integrando com o aplicativo o tempo de deslocamento até cada hospital, mais o tempo o previsto para atendimento”, disse.

O aplicativo é gratuito para IOS e Android e para ser acionado precisa estar ligado ao GPS. Ao utilizar, a pessoa recebe a informação dos hospitais mais próximos de seu caminho, levando em conta o trânsito da região. Também é possível ter acesso a informações dos hospitais como endereço e telefone. “É possível ainda relacionar os hospitais por rapidez no atendimento, proximidade ou buscar pelo nome mesmo”, destacou o co-fundador da Healthier Internet, Rafael Urbach.

Ele espera expandir a plataforma para outras unidades médicas particulares e também para a rede pública. “Os hospitais públicos enfrentam um problema ainda maior com relação ao tempo de espera. O SOSPS - Pronto-Socorro também pretende criar novas oportunidades para pacientes e hospitais, como oferecer mais agilidade com a pré-abertura remota de fichas e auxiliar na migração de casos que deveriam ser tratados em consultas ambulatoriais, não em um serviço de pronto-socorro”, finaliza Urbach.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.