1. Usuário
Assine o Estadão
assine


Arqueólogos descobrem ruínas de templo egípcio de mais de 2 mil anos

EFE

19 Maio 2014 | 17h 48

Vestígios da época do Rei Ptolomeu foram encontrados em trabalhos de escavação às margens do Rio Nilo, a cerca de 110 quilômetros do Cairo

Especialistas egípcios descobriram os restos de um templo da época do Rei Ptolomeu II (246-282 a.C.) na província de Beni Suef, ao sul da capital do Egito, informou nesta segunda-feira, 19, o ministro egípcio de Antiguidades, Mohamed Ibrahim.

O vestígio foi descoberto nos trabalhos de escavação em uma zona arqueológica localizada na margem leste do Rio Nilo, a cerca de 110 quilômetros do Cairo, disse o ministro. Ele destacou que a importância do descobrimento se deve ao fato de que é a primeira vez que se localiza um templo que data da época de Ptolomeu II em Beni Suef, o que facilitará mais informações históricas e detalhes geográficos sobre seu período.

O ministro revelou que a descoberta pertence a um dos monarcas mais importantes da época grega ptolomaica, que reinou durante mais de 36 anos.

As primeiras inspeções da parte descoberta do templo indicam que provavelmente o lugar estava dedicado ao culto de Ísis, a deusa da maternidade e do nascimento no Egito Antigo, cuja adoração se estendeu ao período Ptolomaico.

Ibrahim assinalou a necessidade de que as escavações continuem no lugar para obter mais detalhes e elementos arquitetônicos do templo.

O chefe do Departamento de Egiptologia do Ministério de Antiguidades, Ali al Asfar, destacou em nota que os arqueólogos egípcios alcançaram em sua análise o segundo nível do edifício, que contem várias salas. Os trabalhos continuam para deixá-las totalmente descobertas.

Dentro do templo foram encontrados um conjunto de vasos e fragmentos de cerâmica que levam os nomes de Ptolomeu II. "Os muros externos se destacam por imagens que mostram o rei junto ao deus do Rio Nilo, Hapi, e levando diferentes oferendas cheias de produtos da terra egípcia".

O período grego dos Ptolomeus se iniciou no Egito com a conquista do país por Alexandre Magno, no ano 332 antes de Cristo, e terminou com a tomada de Alexandria pelos romanos, 30 anos antes de Cristo, quando Cleópatra VII governava o país.