Barack Obama pede mais esforços na luta contra a aids

Presidente americano diz que país ajudará 4 milhões em tratamento e prevenirá 12 milhões de infecções

Efe

23 Julho 2010 | 17h26

VIENA - O presidente americano, Barack Obama, declarou nesta sexta-feira, 23, que pediu à sua administração para que redobre os "esforços de prevenção de tratamento da aids" dentro e fora dos Estados Unidos.

"Pôr fim a essa pandemia não vai ser fácil e não vai acontecer de um dia para o outro", disse Obama em mensagem de vídeo destinada à Conferência Internacional Aids 2010, que termina nesta sexta em Viena.

O Plano de Emergência do Presidente dos EUA para Assistência à AIDS (PEPFAR, na sigla em inglês), destinado a ajudar os sistemas de saúde em todo o mundo, contará em 2011 com seu maior orçamento até hoje, apesar das dificuldades fiscais e econômicas que os EUA enfrentam.

"Vamos ter o dobro de bebês nascidos livres do HIV, e trabalhamos para prevenir mais de 12 milhões de novas infecções. Forneceremos ajuda direta a mais de 4 milhões de pessoas em tratamento e ajudaremos mais de 12 milhões, incluindo 5 milhões de crianças em orfanatos", disse o presidente americano.

Segundo Obama, 56 mil pessoas contraem o vírus HIV a cada ano nos EUA.

Mais conteúdo sobre:
aids HIV Obama Viena

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.