Bebês com pais deprimidos 'têm vocabulário menor'

Estudo americano mostra que homens deprimidos afetam aprendizado de seus filhos.

Da BBC Brasil, BBC

10 Maio 2008 | 14h31

Um estudo da universidade americana Eastern Virginia Medical School sugere que crianças que têm pais deprimidos têm um vocabulário menor do que as com pais saudáveis. Por outro lado, a pesquisa, publicada na revista New Scientist, concluiu que crianças com mães com sintomas parecidos não foram afetadas. Pesquisadores disseram que aos dois anos de idade, as crianças com pais deprimidos usavam 1,5 palavra a menos do que a média de 29. De acordo com o pscicólogo pediátrico James Paulson, que liderou a equipe de pesquisa, a diferença parece pequena, mas quando ampliada para o vocabulário completo de uma criança, pode fazer uma grande diferença. Isolamento Os pesquisadores analisaram 5 mil famílias, sendo que quando as crianças tinham nove meses de idade, 14% das mães e 10% dos pais estavam deprimidos. Eles estudaram o impacto do desenvolvimento da língua medindo quantas palavras de 50 palavras comuns as crianças estariam usando aos dois anos de idade. Os responsáveis pela pesquisa disseram que o fenômeno pode ser causado porque pais deprimidos passam menos tempo lendo histórias para seus filhos. Enquanto mães deprimidas não reduziam a quantidade de tempo que passavam lendo para seu bebê de nove meses, foi registrada uma redução de 9% no tempo que os pais deprimidos liam para seus filhos em relação àqueles que não tinham depressão. Paulson, que apresentou suas descobertas em uma conferência da Associação Psiquiátrica Americana, disse que espera que o estudo encoraje pais deprimidos a procurar ajuda. "Os homens podem não ter muita propensão a buscar ajuda por eles mesmos, mas quando outras pessoas dependem deles e são afetadas, isso pode mudar o quadro", afirmou Paulson. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.