Brasil registrou 99 mortes por gripe suína nos oito primeiros meses do ano

Mais de 40% dos óbitos foram confirmados na Região Norte; Sul soma 39% dos 773 casos

Agência Brasil

15 Setembro 2010 | 19h43

BRASÍLIA - O Brasil registrou 99 mortes e 773 casos de influenza A (H1N1) nos oito primeiros meses do ano, contabilizados até o último dia 4. Do total de mortes, 44 foram confirmadas na Região Norte, o equivalente a 44,4%, e 307 casos na Região Sul (39,7%).

De acordo com o último boletim da Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, as mulheres de 10 a 49 anos de idade são as principais vítimas da gripe suína. Entre as mortes, 67 foram do sexo feminino, sendo metade grávidas.

A Região Centro-Oeste soma o menor número de casos e mortes pela doença, correspondendo a 2,1% e 4%, respectivamente. No País, os casos confirmados da doença representam 9,2% dos 8.366 casos de síndrome respiratória aguda grave ocorridos no período. Segundo o ministério, 59 mortes e 1.204 casos permanecem sob investigação.

Em agosto, a Organização Mundial da Saúde (OMS) anunciou o fim da pandemia de influenza A (H1N1), que matou mais de 19 mil pessoas em todo o mundo. A redução no nível de alerta significa que o vírus continua circulando, mas junto com outros vírus e em intensidade diferente em cada país. Em 2009, 2.051 pessoas morreram em decorrência da doença no Brasil.

Este ano, durante quatro meses, o Ministério da Saúde promoveu uma campanha nacional de vacinação contra a gripe suína. Mais de 90 milhões de brasileiros foram imunizados, segundo dados oficiais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.