Brasil tem 4 casos suspeitos e 43 monitorados para H1N1

Números cresceram em relação ao boletim de quarta-feira, que trazia 2 suspeitas de 36 monitoramentos

da Redação,

30 Abril 2009 | 17h48

O Ministério da Saúde considera haver quatro casos suspeitos de gripe suína no Brasil, de um total de 43 pacientes que vêm sendo monitorados. Os casos suspeitos estão em São Paulo (1) e Minas Gerais (3). São considerados suspeitos os pacientes que apresentam sintomas compatíveis com a doença e estiveram recentemente em áreas de circulação do vírus H1N1.

 

Veja também:

especial Mapa: veja como a gripe está se espalhando

especialEntenda a gripe suína: perguntas e respostas 

video Infectologista esclarece cuidados que serão tomados 

mais imagens Veja galeria de fotos da gripe suína pelo mundo   

som 'Meios de transportes facilitam a propagação'

documento Folheto oficial do Ministério da Saúde 

 

Os casos estão sendo monitorados em 12 Estados: Amazonas (4 casos), Bahia (4), Ceará (1), Espírito Santo (2), Mato Grosso do Sul (1), Minas Gerais (2), Pará (1), Paraná (4), Rio de Janeiro (4), Rio Grande do Norte (3), Santa Catarina (3) e São Paulo (14).

O ministério informa ainda que existem, no País, 52 hospitais de referência - ao menos um por Estado - para atendimento de eventuais casos que precisem ser monitorados.

 

 

 

Kits de diagnóstico

Mais cedo, foi divulgada a informação de que o Brasil vai receber nos próximos dias kits prontos para o diagnóstico de gripe suína. A Organização Pan-Americana de Saúde (Opas) vai encaminhar para 30 Centros Nacionais de Influenza das Américas, incluindo do Brasil, exames para diagnóstico da doença, que serão usados em pacientes onde há forte indício de contaminação pelo vírus H1N1. As remessas devem começar a ser feitas no sábado.

 

Os testes podem apressar a confirmação ou o descarte de casos no País. Nesta quinta, o ministro da Saúde, José Gomes Temporão, havia afirmado que testes para confirmar se pacientes estão com H1N1, produzidos no Brasil, estariam prontos em até 10 dias. Com a chegada dos kits prontos, a confirmação ou descarte dos casos pode ocorrer mais rapidamente.

 

Os testes brasileiros serão feitos a partir do sequenciamento genético enviado pela Organização Mundial da Saúde para o País. O sequenciamento já foi transmitido para uma empresa, encarregada de enviar o material necessário para fazer o kit, informou Eduardo Hage, da Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde. Com o material, o País poderá fazer rapidamente kits para o uso nos casos suspeitos no País. O teste preparado pelo Brasil usa a mesma técnica do que será enviado pela Opas.

 

Minas Gerais

A Secretaria de Estado da Saúde de Minas Gerais informou nesta quinta que, de acordo com boletim médico do Hospital das Clínicas, em Belo Horizonte, três dos cinco pacientes que estavam sendo monitorados para investigação de gripe suína tiveram alta na noite de quarta. De acordo com as informações, os resultados dos exames de dois pacientes, realizados pela Fundação Oswaldo Cruz deram negativo e o outro caso foi descartado por critério clínico.

 

Salvador

 

Um adido militar canadense, que reside em Brasília, está internado desde quinta-feira, 30, em Salvador em observação por causa da gripe suína, com quadro de virose respiratória, segundo confirmou a Vigilância Epidemiológica da Bahia. De acordo com o órgão, o militar, que não teve o nome revelado, viajou recentemente à Cidade do México, de onde voltou na quinta-feira da semana passada, desembarcando na capital federal. Este é o quarto caso que está sendo monitorado pela vigilância baiana.

Segundo o Comando do 2º Distrito Naval, o paciente desembarcou nesta quinta-feira em Salvador, cumprindo viagem oficial. Ele se sentiu mal e foi internado no Hospital Naval. O militar foi colocado em uma área isolada, onde está em observação, enquanto são feitos exames laboratoriais para que seja determinada a causa da doença. Nos outros três casos monitorados no Estado, os pacientes já receberam alta hospitalar e estão em internação domiciliar enquanto os resultados dos exames para detecção da gripe suína não são concluídos.

 

(com Lígia Fomenti e Fabiana Marchezi)

Texto atualizado à 0h40

 
Mais conteúdo sobre:
gripe suína

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.