Arquivo/AE
Arquivo/AE

Campinas já registra 524 casos de dengue este ano

Relatório aponta 6 casos com complicações e a confirmação de um de febre hemorrágica

SOLANGE SPIGLIATTI, Agência Estado

30 Março 2010 | 08h33

A cidade de Campinas, no interior paulista, já confirma 524 casos de dengue este ano, de acordo com relatório da Secretaria Municipal de Saúde divulgado nesta segunda-feira, 29. No último balanço, do dia 23, eram 359. O relatório atualizado aponta seis casos de dengue com complicações e a confirmação de um caso de febre hemorrágica, importado da Bahia. Todos os pacientes passam bem, segundo a secretaria.  

 

Veja também:

linkEpidemia de dengue atinge 4 municípios da Baixada Santista

especialESPECIAL: A dengue no Brasil 

As áreas com maior número de casos são comunidades na abrangência do Centros de Saúde (CSs) Conceição (leste); Pedro de Aquino (Balão do Laranja), Perseu Leite de Barros e Florence (noroeste); Barão Geraldo, Santa Mônica, São Marcos e Aurélia (norte); Vista Alegre, Tancredão e Vila União (sudoeste); Paranapanema, Domingos e São José (sul).

Segundo a prefeitura, o aumento de casos neste início de ano pode estar relacionado ao forte calor e ao elevado volume de chuvas. Outro fator que pode estar contribuindo para o crescimento das notificações é a circulação do sorotipo viral DEN-1, o que motivou o Ministério da Saúde a alertar todas as unidades da federação, pois esse sorotipo, que circulou com mais intensidade na década de 90, voltou a predominar em alguns Estados no fim do ano passado.

Controle

A Vigilância em Saúde de Campinas intensificou as medidas de controle da doença. Foram contratados 200 Ajudantes de Controle Ambiental, totalizando 350 pessoas envolvidas diretamente no combate à dengue em campo.

Também há mais rigor da Secretaria de Saúde no uso dos instrumentos da Vigilância Sanitária em relação aos munícipes que mantiverem em seus domicílios condições propícias para a proliferação do mosquito da dengue, especialmente as pessoas que impedirem o acesso das equipes que atuam no combate à doença ou que mantiverem imóveis fechados ou abandonados.

Até então, Campinas aplicava penalidades apenas a estabelecimentos comerciais. A partir de agora, se forem esgotadas as abordagens que já ocorrem na rotina, frente a uma situação de risco, com o proprietário impedindo o acesso das equipes, o munícipe fica sujeito a penalidades, o que inclui multa com valores que hoje variam entre R$ 1.200 a R$ 6.400.

Mais conteúdo sobre:
saúde dengue Campinas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.