Campinas registra três mortes por causa da dengue neste ano

No ranking dos municípios com mais casos da doença no País, a cidade aparece em quarto lugar

Ricardo Brandt, O Estado de S. Paulo

01 Abril 2014 | 19h35

CAMPINAS - Em apenas 90 dias, pelo menos três mortes foram registradas na região de Campinas por causa da dengue e prefeituras e moradores estão em alerta pelo risco de epidemia da doença. Abril historicamente é o mês em que os casos de contaminação crescem e a maior parte das cidades já registra um número de casos maior do que nos anos de pior epidemia.

Nesta semana, a prefeitura de Sumaré confirmou a morte de duas pessoas, um bebê de 2 meses e uma mulher de 53 anos que morreram em março. Outra vítima é de Americana. Em Sumaré e em Campinas há outras duas mortes sendo investigadas.

Em Campinas, são até agora 2.140 casos de dengue já confirmados. Outros 2,5 mil estão em investigação. "Estamos alerta por causa do elevado número de casos este ano e abril é um mês que costuma subir as notificações", afirma o médico epidemiologista da prefeitura de Campinas André Ribas Freitas.

Só em janeiro e fevereiro foram registrados 1.169 casos de dengue. Em 2007, ano da pior epidemia da doença na cidade, foram 1.091 nos dois primeiros meses. Desde janeiro, quando o número de casos superou 2007, a Secretaria de Saúde está em alerta e orienta a população a verificar caixas d'água, para garantir que estejam limpas e vedadas, a não deixar água acumulada em pratos de vasos, fechar sacos plásticos expostos e a eliminar adequadamente entulhos.

Sumaré. Em Sumaré, a população e a prefeitura também estão atentas para tentar evitar uma explosão de casos. "Aqui em casa eu troquei todos os vasos e coloquei areia no lugar de água. Estamos também atentos com pneus e lixo na rua, depois que soubemos que teve uma morte", afirma a aposentada Maria Odete Costa, de 67 anos, que mora na Vila Menuzzo, onde morreu uma das vítimas.

As confirmações de causa das mortes em Sumaré foram entregues na segunda-feira pelo Instituto Adolfo Lutz para a prefeitura. As mortes ocorreram nos dias 7 e 8 de março. O terceiro caso de suspeita de dengue hemorrágica foi a morte de uma mulher de 24 anos no dia 28.

Sumaré já confirmou 337 casos de dengue na cidade desde o início do ano. Outros 934 estão em investigação. Desde 1997, quando foi registrado o primeiro caso de dengue na cidade, foram registradas 5 mortes. Em 2007, a cidade registrou o maior número de casos de dengue da história, foram 3.699 confirmações pela Vigilância Epidemiológica.

Preocupação. A entidade afirma que 2014 é um "ano preocupante" para o risco de uma "situação de emergência" de dengue. Isso não só na cidade, com em toda Região Metropolitana de Campinas (RMC).

No ranking dos municípios com mais casos de dengue do País, divulgado em março pelo Ministério da Saúde, Campinas aparece em quarto lugar, com 1.739 notificações entre janeiro e fevereiro, e Americana em quinto, com 1.692 - os números somam casos confirmados e suspeitos.

Os principais sintomas da dengue são dor de cabeça, dores musculares, nas articulações e no fundo dos olhos e febre.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.