REUTERS/Josue Decavele
REUTERS/Josue Decavele

Casos de chikungunya aumentam 88% em um mês no País

Quantidade de suspeitas passou de 43 mil para 80 mil de abril para maio; apesar do aumento expressivo, dados ainda são menores do que os registros do ano passado

Lígia Formenti, O Estado de S.Paulo

25 Maio 2017 | 16h43

BRASÍLIA - O número de casos de chikungunya no País aumentou 88% em um mês. Boletim epidemiológico mostra que foram registrados até 13 de maio 80.949 pacientes com suspeita da doença. Até 15 de abril, haviam sido identificados 43.010. Apesar do aumento expressivo no período, os dados deste ano ainda são significativamente menores do que o registrado ano passado, quando foram feitas 179.026 notificações. Até agora, foram registradas 13 mortes. Em 2016, a doença provocou 196 óbitos.

A maior taxa de incidência de casos é no Nordeste. A região apresentou uma proporção de 93,3 notificações a cada 100 mil habitantes. Em seguida, vem a região Norte, com 45,6 casos a cada 100 mil. Ceará apresenta epidemia da doença, com incidência de 462,7 casos por 100 mil habitantes. Também preocupam o Ministério da Saúde Roraima e Tocantins.

Embora em menor número do que o ano passado, os casos de zika também aumentaram no último mês. Até 13 de maio, foram contabilizados 9.351 casos prováveis da infecção, 18% a mais do que o registrado até o boletim de 15 de abril. Entre gestantes, fora notificados 1.419 casos, dos quais já foram confirmados 339. Mesmo com o aumento em relação a abril, os casos de zika este ano são expressivamente menores do que os apresentado em 2016. A queda é de 95,1%.

A dengue continua sendo a doença transmitida pelo Aedes aegypti mais difundida entre a população brasileira. Este ano, foram 144.326 casos suspeitos. Em um mês, os registros avançaram 27%. O Nordeste apresentou o maior número de casos prováveis (45.431, o equivalente a 31,5% do número nacional). Em seguida, vem a região Sudeste ( com 29,6% dos casos), o Centro-Oeste (com 24,1%) , Norte (12,5%) e Sul (2,4%). Quando se analisam os índices nacionais, os casos de dengue este ano sofreram uma redução de 89,3% em relação ao mesmo período de 2016.

Mais conteúdo sobre:
BRASÍLIA

Encontrou algum erro? Entre em contato

0 Comentários

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.