1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Chuva dá trégua e abre passagem para a Pérola Negra no Anhembi

- Atualizado: 05 Fevereiro 2016 | 23h 12

Parte do sambódromo ficou sem luz e desfiles podem atrasar; primeira noite terá ainda Rosas de Ouro e Gaviões da Fiel

Parte do Anhembi ficou sem luz antes dos desfiles na primeira noite do carnaval de São Paulo. O motivo teria sido um gerador queimado. Leia mais

Parte do Anhembi ficou sem luz antes dos desfiles na primeira noite do carnaval de São Paulo. O motivo teria sido um gerador queimado. Leia mais

SÃO PAULO - Com capas para enfrentar a chuva, torcedores das escolas de samba que vão desfilar no primeiro dia do Grupo Especial do carnaval de São Paulo já começavam a ocupar as arquibancadas do Sambódromo do Anhembi, por volta das 22h30, na zona norte de São Paulo. Neste ano o evento também comemorará os 25 anos do Sambódromo, construído e inaugurado em 1991. 

Parte do sambódromo ficou sem luz por volta das 23 horas e as apresentações devem atrasar. O motivo - ainda não confirmado pela Prefeitura de São Paulo - teria sido um gerador queimado. 

A primeira escola de samba, Pérola Negra, da Vila Madalena, já se prepara para abrir a noite de desfiles. Com o enredo "Do Canindé ao samba no pé. A Vila Madalena nos passos do balé", a agremiação vai contar a história do bairro desde o período em que índios habitavam a região. No total, serão cinco carros alegóricos, 24 alas e 2.800 componentes. A musa da escola é a educadora física Carol Ferreira, de 28 anos.

Além da Pérola Negra, outras seis escolas de samba devem trazer a folia para o Anhembi: Unidos de Vila Maria, Águia de Ouro, Rosas de Ouro, Nenê de Vila Matilde, Gaviões da Fiel e Acadêmicos do Tatuapé - a última do desfile, com apresentação prevista para às 5h45. 

Curiosidades do carnaval de SP
Nilton Fukuda/ Estadão
Campeã

Tradicional agremiação do Bexiga, Vai-vai é a atual campeã do carnaval de São Paulo. Saiba mais sobre o título do ano passado

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em SaúdeX