Cientista alemã descobre gene vinculado à asma infantil

Descoberta do gene ORMDL3, presente no cromossomo 17, pode ajudar na evolução do conhecimento que se tem sobre a doença e impulsionar tratamentos

Efe,

16 Fevereiro 2011 | 16h23

BRUXELAS - Uma pesquisadora alemã descobriu um gene que determina o risco de asma nas crianças, segundo anunciou nesta quarta-feira a Comissão Europeia (órgão executivo da União Europeia) em comunicado.

 

O resultado da pesquisa, realizada pela alemã Michaela Schendel, será apresentado na reunião anual da Associação Americana para o Avanço da Ciência, marcada para o próximo fim de semana em Washington. A descoberta do gene ORMDL3, presente no cromossomo 17, pode acrescentar na evolução do conhecimento que se tem sobre a doença e impulsionar novos tratamentos.

 

A cientista responsável pela pesquisa, de 33 anos, começou a trabalhar na universidade de Munique e hoje colabora com o professor Michael Kabesch, especialista em alergia genética na Escola Superior de Medicina de Hannover.

 

"Temos uma primeira prova de vínculo casual entre a presença desse gene no cromossomo 17 e a aparição da asma, doença que pode ser tratada, mas que ainda não pode ser curada", explicou a pesquisadora em comunicado.

 

Schedel foi beneficiada por uma das bolsas de estudos Marie Curie, com as quais a União Europeia fomenta a pesquisa, e fez parte da equipe de 220 pesquisadores que participaram desde 2008 de um programa de intercâmbio de conhecimento entre a União Europeia e Estados Unidos.

 

A asma afeta 100 milhões de pessoas na Europa e cerca de 300 milhões no mundo.

Mais conteúdo sobre:
asma

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.