DIVULGAÇÃO
DIVULGAÇÃO

Colégio suspende aula após intoxicação de estudantes

Cerca de 20 alunos do Mackenzie de Tamboré tiveram problemas gástricos; Alphaville também foi afetado

Fabiana Cambricoli, O Estado de S. Paulo

28 Setembro 2016 | 21h10

O Colégio Presbiteriano Mackenzie Tamboré, em Barueri, na Grande São Paulo, suspendeu as aulas por dois dias por causa de um surto de problemas gastrointestinais identificado em alunos da unidade.

Segundo a escola, 20 estudantes, a maioria de turmas do ensino fundamental, apresentaram sintomas como diarreia e vômito nesta quarta-feira, 28. A vigilância sanitária, no entanto, registrou 55 casos. Outros moradores da região de Alphaville também teriam sido afetados. Diante da situação, as aulas serão retomadas na segunda-feira para que as causas do surto sejam identificadas e solucionadas.

A Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) informou que fez vistoria no colégio, coletando amostras do cavalete e das instalações internas do prédio, inclusive das caixas d’água, sem encontrar nenhuma anormalidade. “Análise dessas amostras apontou total conformidade do produto com as exigências da Portaria 2.914, de 2011, do Ministério da Saúde. Foram feitas análises em outros colégios da região e todas as amostras estavam regulares”, disse o órgão.

Ainda de acordo com a Sabesp, o trabalho de controle sanitário da água é diário, com mais de 60 mil análises mensais em laboratórios mantidos pela empresa e atestados nos padrões ISO. Segundo a companhia, são avaliados parâmetros como turbidez, cor, cloro e presença de bactérias. “Todos os resultados são encaminhados para as vigilâncias sanitárias das cidades atendidas, conforme prevê a lei”, diz a Sabesp.

A reportagem não conseguiu contato com a prefeitura de Barueri. O colégio informou que a administração municipal deverá continuar nos próximos dias a investigação das possíveis causas do surto. Segundo o Mackenzie, os pais dos estudantes foram notificados e “não haverá prejuízo acadêmico para os alunos, aos quais a segurança é imprescindível”

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.