Creative Commons
Creative Commons

Comissão do Senado aprova ampliação da licença-maternidade de 120 para 180 dias

Se não houver recurso, projeto de lei seguirá diretamente para a Câmara dos Deputados

O Estado de S.Paulo

05 Abril 2018 | 10h43

A Comissão de Assuntos Sociais do Senado aprovou nesta quarta-feira, 4, projeto de lei que amplia o prazo da licença-maternidade de 120 para 180 dias. De autoria da senadora Rose de Freitas (MDB-ES), o texto também permite ao pai acompanhar a companheira em consultas e exames durante a gravidez. Se não houver recurso, a proposta seguirá diretamente para a Câmara dos Deputados.

+++ Temer aprova parecer da AGU que formaliza licença-maternidade para mães que adotam crianças

+++ Justiça dá licença-maternidade de 180 dias a pai viúvo

"É uma medida que estimula a paternidade responsável, inserindo o genitor, desde os primeiros momentos, na rotina de cuidados com o seu filho que irá nascer", disse o relator da proposta, Paulo Paim (PT-RS).

+++ STF garante 180 dias de licença para servidoras em caso de adoção

Na defesa do projeto, Paim citou dados da Sociedade Brasileira de Pediatria que mostram que bebês que ficam seis meses ao lado da mãe têm menos chance de contrair pneumonia, desenvolver anemia ou sofrer com diarreia. O relato destacou ainda que o Brasil gasta alta somas de recursos para atender crianças com doenças que poderiam ser evitadas com a amamentação nos primeiros meses de vida. Confira mais detalhes na página do Senado/Com informações da Agência Brasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.