Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Saúde

Saúde » Comissão do Senado aprova projeto que autoriza venda de emagrecedores

Saúde

ESTADÃO

Saúde

Brasil

Comissão do Senado aprova projeto que autoriza venda de emagrecedores

Texto segue agora para avaliação no plenário da Casa; remédios deverão ser classificados como de 'tarja preta'

0

O Estado de S. Paulo

16 Fevereiro 2016 | 17h10

A Comissão de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor e Fiscalização e Controle (CMA) do Senado aprovou nesta terça-feira, 16, um projeto de lei que autoriza a produção e venda de remédios para emagrecer que contenham as substâncias sibutramina, anfepramona, femproporex e mazindol. O texto segue para avaliação no plenário do Senado.

Segundo emenda apresentada ao projeto, os medicamentos com essas substância deverão ser classificados como de "tarja preta" e a compra só poderá ser feita mediante a apresentação de uma receita médica especial, que ficará retida com o farmacêutico. 

A comercialização desse tipo de medicamento já estava regulamentada no Brasil por uma resolução da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que definia normas como a retenção de receita, a assinatura de um termo de responsabilidade pelo médico e de um termo de consentimento pelo paciente. 

O projeto, no entanto, foi apresentado pelo deputado Felipe Bornier (PSD-RJ) para garantir em lei a permissão de comercialização dos inibidores de apetite e evitar que a agência volte a retirar os produtos do mercado, como ocorreu em 2011, quando a Anvisa proibiu o uso das substâncias. 

"A Anvisa vem fazendo sua parte do trabalho, buscando cumprir sua missão de zelar pela segurança do usuário de medicamentos, mas entendemos que é preciso garantir em lei a disponibilidade dos anorexígenos no Brasil de forma a impedir que uma norma infralegal seja editado para retirá-los do mercado", destacou o relator na CMA, Otto Alencar (PSD-BA).

Mais conteúdo sobre:

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.