Comitê 2016 diz não temer que atletas americanos desistam das Olimpíadas

Com ameaça de zika, comitê dos EUA diz que atletas podem escolher se vão aos jogos; grupo organizador diz que não haverá problema, porque evento será no inverno, quando o risco é menor

Fernanda Nunes, O Estado de S. Paulo

08 Fevereiro 2016 | 13h44

RIO - A informação de que o Comitê Olímpico dos Estados Unidos (Usoc, na sigla em inglês) liberou os atletas a escolherem por conta própria se querem vir ao Rio de Janeiro para as Olimpíadas foi recebida com tranquilidade pelo comitê organizador dos jogos, o Rio 2016. Os americanos temem a contaminação dos atletas pelo vírus zyka, por isso foi comunicado às federações e comitês esportivos do país que a vinda ao Rio é uma escolha de cada atleta. A avaliação do comitê brasileiro é que, como o evento acontecerá no mês de agosto, durante o inverno, há pouca chance de proliferação do mosquito Aedes aegypti, transmissor da doença.

“Com todo esforço sendo feito no Brasil, tenho certeza que o zyka não vai ser um problema. A delegação dos Estados Unidos vai ser completa, porque ninguém vai deixar de vir às Olimpíadas por causa de uma doença que acontece no verão. Ainda estamos em fevereiro, no carnaval. Tem muita coisa para acontecer ainda. Os Estados Unidos vão liberar os atletas”, disse o diretor de Comunicação do Comitê Rio 2016, Mário Andrada.

A prefeitura do Rio não se posicionou sobre o assunto. Disse apenas que todas as informações e posicionamentos são de responsabilidade do comitê Rio 2016, organizador dos jogos.

Mais conteúdo sobre:
Rio de Janeiro Estados Unidos Zika

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.