1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Comitê dos EUA diz que atletas podem escolher se vão às Olimpíadas

- Atualizado: 08 Fevereiro 2016 | 12h 33

Zika preocupa organizadores do evento esportivo, que será no Rio; entidade americana discutiu questão em conferência de janeiro

NOVA YORK - O Comitê Olímpico dos Estados Unidos (Usoc) disse às federações do país que atletas ou profissionais que estiverem preocupados com a saúde podem considerar não vir para as Olimpíadas do Rio de Janeiro, em agosto. Essa mensagem foi distribuída em uma conferência feita em janeiro, com o comitê e lideranças das federações. A epidemia de zika no Brasil tem se tornado um problema para os organizadores do evento esportivo. 

Segundo Donald Anthony, da Federação de Esgrima, a orientação foi de que ninguém deve ir à competição caso não se sinta confortável. Will Conell, da Federação Equestre, disse que o comitê está deixando a decisão sobre ir ou não às Olimpíadas para cada atleta. 

Mark Jones, do comitê americano, confirmou à agência de notícias Reuters que foram dadas orientações às federações esportivas. A entidade vai garantir, de acordo com ele, que os atletas recebam todas as atualizações das autoridades de saúde até agosto. 

Veja quais países terão mais prejuízo com o zika vírus
Andrea de Silva/Reuters
19º - Guiana

Após declarar que o zika vírus é uma emergência mundial, a OMS (Organização Mundial da Saúde) emitiu um alerta para 25 países da América do Sul, América e Central e Caribe (incluindo o Brasil) que irão receber milhares de turistas neste ano. Como resultado, esses países devem perder bilhões de dólares em verba vinda do turismo. A Guiana prevê um prejuízo de US$ 77 milhões

Nas últimas semanas, Comitê Olímpico Internacional já afirmou que a acompanha a preparação para os Jogos Olimpícos e acredita no sucesso do evento. Reforçou, no entanto, que as delegações devem ser proteger o máximo possível enquanto estiverem no Brasil. 

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em SaúdeX