AE
AE

Consumo de gordura diminui a tristeza, diz estudo

A pesquisa, publicada na revista 'Journal of Clinical Investigation', investigou os efeitos emocionais do consumo de ácidos graxos

Por Alice Baghdjian , REUTERS

02 Agosto 2011 | 19h16

LONDRES (Reuters Life!) - Cientistas descobriram a razão para corrermos atrás de um sorvete ou um bolo em momentos de estresse -- e isso não tem relação apenas com a sensação agradável ao paladar, mas também com uma sinalização entre o estômago e o cérebro, segundo o estudo da Universidade de Leuven, na Bélgica.

A pesquisa, publicada na revista Journal of Clinical Investigation, usou exames de ressonância magnética para investigar os efeitos emocionais da injeção de ácidos graxos diretamente no estômago.

Cientistas apresentaram músicas e imagens tristes a um grupo de 12 participantes, antes de injetar ácidos graxos em metade deles, e uma solução salina na outra metade. Com esse método, os pesquisadores "driblaram" a distorção causada pelo estímulo do paladar.

Sem saber qual substância haviam recebido, os voluntários deram notas de 1 a 9 para o seu estado de espírito antes e depois das ressonâncias. Entre os que recebiam ácidos graxos, o "índice de tristeza" caía à metade.

"Consumir gorduras nos torna menos vulneráveis a emoções tristes, mesmo se não soubermos que estamos consumindo gorduras", disse Lukas van Oudenhove, coordenador do estudo, ao site HealthDay.

Embora o trabalho tenha implicações para a obesidade, a depressão e transtornos alimentares, Van Oudenhove disse que é preciso aprofundar as pesquisas para determinar se as conclusões podem servir no tratamento dessas doenças.

Mais conteúdo sobre:
CIENCIA GORDURA ALEGRIA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.