Descoberto buraco negro que emite bolha de gás de 1.000 anos-luz

Jatos produzidos por pequeno buraco negro aceleram e aquecem o gás interestelar, gerando a bolha

estadao.com.br

07 Julho 2010 | 17h05

Ilustração mostra buraco negro sugando matéria de estrela e projetando jatos. ESO/Divulgação

 

Combinando observações feitos pelo Telescópio Muito Grande do Observatório Europeu Sul, no Chile, e do observatório de raios X Chandra, da Nasa, astrônomos encontraram o mais potente par de jatos de matéria já avistado partindo de um buraco negro de massa estelar. O objeto, também conhecido como um microquasar, sopra uma enorme bolha de gás quente, com 1.000 anos-luz de diâmetro, duas vezes maior e dezenas de vezes mais potente que outros microquasares.A descoberta é descrita na edição desta semana da revista Nature.

 

"Estamos espantados com a energia injetada no gás pelo buraco negro", disse o principal autor do estudo, Manfred Pakull. "Este buraco negro tem apenas algumas poucas massas solares, mas é uma verdadeira versão miniatura dos mais poderosos quasares e galáxias de rádio, que contêm buracos negros com milhões de vezes a massa do Sol".

 

Sabe-se que buracos negros liberam quantidades imensas de energia, quando engolem matéria. Acreditava-se que a maior parte da energia surgia sob a forma de radiação, principalmente raios X. O novo estudo indica, no entanto, que uma quantia equivalente de energia, ou talvez maior, é emitida por meio de jatos compactos de partículas em alta velocidade.

 

Essas jatos velozes colidem com o gás interestelar, aquecendo-o e precipitando uma expansão. A bolha em expansão contém uma mistura de gás quente e partículas aceleradas de diferentes temperaturas. Observações em diferentes faixas de radiação eletromagnética ajudam os astrônomos a calcular a taxa total em que o buraco negro aquece os arredores.

 

Os astrônomos conseguiram ainda observar os pontos onde os jatos se chocam com o gás interestelar local, e revelam que a bolha de gás está crescendo a uma velocidade de quase um milhão de quilômetros por hora.

 

"O comprimento dos jatos em NGC 7793  é espetacular, se comparado ao tamanho do buraco negro da onde são lançados", disse o coautor do estudo Robert Soria. "Se o buraco negro fosse encolhido ao tamanho de uma bola de futebol, cada jato se estenderia da Terra até além da órbita de Plutão".

 

O buraco negro está localizado a 12 milhões de anos-luz de distância, na periferia da galáxia NGC 7793. Astrônomos estimam que a emissão de gás já dura pelo menos 200.000 anos.

Mais conteúdo sobre:
buraco negro quasar nature

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.