Denis Balibouse/Reuters
Denis Balibouse/Reuters

Diminuição no cérebro pode indicar propensão ao Alzheimer

Estudo mostrou que áreas atingidas pela doença começam a diminuir cerca de 10 anos antes do aparecimento do mal de Alzheimer

estadão.com.br,

14 Abril 2011 | 12h35

SÃO PAULO - Uma pesquisa mostrou que as áreas do cérebro afetadas pelo mal de Alzheimer começam a diminuir cerca de 10 anos antes do diagnóstico da doença. O estudo, desenvolvido pelo Dr. Bradford Dickerson da Escola Médica de Harvard, foi publicado na revista Neurology®, da Academia Americana de Neurologia.

Os pesquisadores chegaram a esta conclusão a partir de medições destas áreas nos cérebros de voluntários por um período que durou entre sete e onze anos. Eles não apresentavam sintomas ligados à doença e nenhum problema associado à memória no início do estudo. Um destes grupos era formado por aqueles que apresentavam a área medida maior que os outros. Destes, ninguém desenvolveu a doença. Já entre aqueles que apresentavam medidas menores, a doença foi desenvolvida por 55% dos participantes. Cerca de 20% das pessoas que faziam parte do grupo com medição mediana apresentou a doença ao longo dos anos.

De acordo com o estudo, aqueles com medições menores ficaram três vezes mais propensos a desenvolver demência durante os 10 anos de observação em comparação com aqueles que tinham medidas maiores das áreas geralmente afetadas pela doença. O estudo abre caminho para um diagnóstico precoce do mal de Alzheimer.

Mais conteúdo sobre:
Alzheimer pesquisa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.