Fabio Motta/AE
Fabio Motta/AE

Dispersão da dengue tipo 4 é previsível, diz secretário

Para Jarbas Barbosa, novo vírus é mais um argumento para reforçar o combate à doença

Lígia Formenti - O Estado de S. Paulo,

24 Março 2011 | 19h52

BRASÍLIA - A disseminação do vírus da dengue tipo 4 no País é previsível, afirmou o secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Jarbas Barbosa. "Não há dúvida de que a circulação de todos vírus vai ocorrer. Mas a presença do novo vírus deve funcionar apenas como mais um argumento para reforçar o que tem de ser feito: combate aos criadouros, organização do sistema de saúde para atendimento rápido dos pacientes", disse.

Na avaliação do secretário, a preocupação reside no fato de haver circulação de vírus com grande quantidade de pessoas suscetíveis. "E isso vale para qualquer tipo, seja 1, 2, 3 ou 4". Para Barbosa, com o isolamento do vírus tipo 4 no Estado fluminense, maior atenção se volta para a região do Grande Rio. "Todo esforço será feito para aumentar a prevenção e o sistema de saúde na região metropolitana", contou.

De acordo com ele, a secretaria estadual de saúde deverá auxiliar as cidades mais necessitadas. Com exceção do Grande Rio, Barbosa disse estar convencido de que o Estado está preparado para combater a doença. "Eles aprenderam muito com a epidemia de 2008". Além disso, a equipe do ministério revisou planos de contingência dos municípios e da capital, que podem ser colocados em prática no caso de epidemia. "A estrutura foi bem montada".

Apesar do isolamento do vírus tipo 4, Barbosa acredita que os casos de dengue no Rio têm tendência de cair nos próximos dias. "Estamos praticamente no fim de março, as chuvas já estão terminando. A preocupação maior é com o comportamento da doença nos Estados do Nordeste, onde o período chuvoso está para começar", adiantou.

Mais conteúdo sobre:
saúde dengue vírus

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.