Droga usada na antiguidade é eficaz contra pericardite, revelam testes

Pericardite é a inflamação da membrana que envolve o coração

Ransdell Pierson e Bill Berkrot, Reuters

30 Março 2014 | 18h54

WASHINGTON - Um medicamento que era usado no tempo dos faraós para combater reumatismo se mostrou altamente efetivo no combate à pericardite, a inflamação da membrana que envolve o coração, revelaram novos ensaios clínicos divulgados neste domingo pelo Colégio Americano de Cardiologia, em Washington.

A droga antiga, colchicina, que por séculos foi empregada no tratamento de gota, foi utilizada novamente em um teste com placebo em 240 pacientes. A taxa de pericardite recorrente caiu praticamente pela metade naqueles que ingeriram colchicina, comparando com o placebo, de acordo com as informações divulgadas neste domingo.

Ao final do teste, a inflamação, que leva a agudas dores no peito, foi observada em 42,5% das pessoas tomando comprimidos normais, e em 21,6% dos que tomaram colchicina.

Além disso, após três dias de tratamento, 19,2% dos pacientes que tomaram a droga ainda mostravam sintomas, contra 44% dos que tomaram placebo. E os que tomaram placebo, em média, tiveram 0,63 recorrências, contra 0,28 dos que tomaram colchicina.

Com menor recorrência, a droga diminui a taxa de hospitalizações para 1,7%, comparado com os 10% do grupo do placebo.

Os resultados favoráveis devem aumentar a confiança no uso do medicamento para pericardite, disseram os pesquisadores.

Mais conteúdo sobre:
Pericardite coração Cardiologia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.