DANIEL TEIXEIRA/ESTADAO
DANIEL TEIXEIRA/ESTADAO

Em sete cidades paulistas não existe mosquito da dengue

Buritizal, Caiabu, Cássia dos Coqueiros, Ibirarema, Jeriquara, Nova Castilho e Ribeirão Corrente são 'ilhas' em meio à infestação

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

21 Março 2015 | 03h00

SOROCABA - Pelo menos sete cidades do interior de São Paulo não registraram casos de dengue neste ano nem a presença do mosquito transmissor, segundo o último Levantamento Rápido de Índices para Aedes aegypti (Liraa) do Ministério da Saúde. A pesquisa identifica locais com focos de reprodução do mosquito e levanta o número de casos. O índice é considerado satisfatório quando o porcentual de residências com larvas está abaixo de 1%.

Não houve casos de dengue nem foram encontrados criadouros do mosquito até o dia 7 nas cidades de Buritizal, Caiabu, Cássia dos Coqueiros, Ibirarema, Jeriquara, Nova Castilho e Ribeirão Corrente. São cidades com até 5 mil habitantes, consideradas “ilhas” em meio à grande infestação da doença. 

Norte. Buritizal, com 4.077 habitantes, fica na região norte do Estado, onde várias cidades enfrentam epidemia. A prefeitura informou que a cidade continua sem casos porque a população colabora na eliminação de possíveis criadouros.

Como a adesão ao Liraa é voluntária, a pesquisa abrangeu cerca de 60% dos 645 municípios paulistas. Outras sete cidades pesquisadas não têm casos de dengue, mas apresentam o mosquito. Chamou a atenção do ministério o caso de Estiva Gerbi, de 10.141 habitantes, na região de Campinas. Na cidade não foram encontrados criadouros, mesmo tendo sido registrados 283 casos de dengue no ano. A prefeitura informou que foram realizados vários mutirões para eliminar possíveis focos do mosquito transmissor.

Mais conteúdo sobre:
Dengue São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.