1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Entenda o pronunciamento da OMS sobre microcefalia

- Atualizado: 01 Fevereiro 2016 | 20h 18

Organização Mundial de Saúde declarou a má-formação como emergência mundial; mecanismo de financiamento será anunciado

Por que a OMS decidiu declarar microcefalia, e não o zika, como emergência mundial?

Para a OMS, o zika não é doença grave e seus efeitos em 75% dos casos sequer exigem hospitalização. Portanto, não haveria motivo para declarar o vírus como tal uma emergência. Como também não existe uma prova científica da relação entre o vírus e a microcefalia, a entidade optou por declarar apenas a má-formação como emergência.

O que acontece agora? Quais medidas serão tomadas em relação à microcefalia? Será decretada notificação obrigatória de casos?

A notificação é obrigatória e países são forçados a informar à OMS qualquer caso que seja registrado. Também fica estabelecida a necessidade de fortalecer a pesquisa.

Haverá um fundo de combate à microcefalia? Como vai funcionar? Quem vai gerir?

Sim, nos próximos dias um mecanismo de financiamento será anunciado e governos e instituições serão convidados a contribuir. A OMS vai administrar o fundo e, com o dinheiro, ajudará países a combater a doença e fazer pesquisas. 

O Brasil terá alguma posição de destaque nisso?

O Brasil é o centro de todas as atenções e receberá parte dos recursos para a pesquisa. 

Existe alguma recomendação para não viajar ao Brasil? E para grávidas?

Não, diante da ausência de provas da ligação entre o vírus e a microcefalia. Mas recomenda-se que gestantes se protejam de mosquitos, até mesmo para evitar a dengue. 

7 perguntas e respostas sobre a microcefalia
REUTERS / Ueslei Marcelino
O que é microcefalia?

É uma má-formação congênita em que a criança nasce com o perímetro cefálico menor do que o convencional, que é de 32 centímetros. Isso significa que o cérebro não se desenvolveu da maneira esperada.  

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em SaúdeX