Espanha registra caso de gripe suína; Coreia do Sul tem suspeita

Número de mortos no México chega a 149; casos da doença aumentam e OMS eleva nível de alerta

Agências internacionais,

28 Abril 2009 | 02h45

As autoridades espanholas confirmaram o primeiro caso de gripe suína no país e as sul-coreanas detectaram um caso suspeito, que se confirmado, será o primeiro registrado na Ásia. Além disso, o número de mortes causadas pela doença no México aumentou e os casos registrados da doença no país e nos Estados Unidos duplicaram.

 

Veja também:

linkOMS eleva nível de emergência da epidemia de gripe suína

linkCosta Rica tem 5 casos suspeitos de gripe suína

linkInfraero anuncia plano de prevenção da gripe em aeroportos

linkOMS, governos e empresas montam esquema pra conter gripe

linkPeru detecta suspeita de gripe suína em voo vindo do México

linkBrasil não precisa se preocupar com gripe suína, diz Lula

documento Folheto oficial do Ministério da Saúde

linkPaíses recomendam adiamento de viagem a áreas afetadas

linkMéxico suspende aulas em todo o país; mortes são 149

especialEntenda a doença e saiba como ela é transmitida

especialVeja como é a ação do vírus H1N1

mais imagens Galeria: Gripe Suína

 

Com o aumento da doença, a Organização Mundial de Saúde (OMS) elevou de 3 para 4 o nível de alerta epidemiológico, o que significa o aumento significativo do risco de uma pandemia. A OMS estabeleceu seis fases no caso de uma epidemia da doença com risco de se converter para uma pandemia. A fase cinco se caracteriza pela propagação humano para humano do vírus em ao menos dois países, indicando que uma pandemia é praticamente iminente. A fase seis indica que já há uma pandemia.

 

Na Coreia do Sul, a paciente é uma mulher de 51 anos que voltou recentemente do México e que apresenta sintomas da gripe, afirmou um porta-voz do Centro para o Controle de Doenças da Coreia do Sul em entrevista coletiva.

 

As autoridades de saúde sul-coreanas realizam exames na mulher para determinar se é portadora do vírus, e a isolaram em sua casa, sem que, por enquanto, a doença tenha sido confirmada.

 

Outras duas pessoas que retornaram recentemente do México foram examinadas pelas autoridades sul-coreanas, mas os exames deram negativo, de acordo com o Centro para o Controle de Doenças, citado pela agência local Yonhap.

 

O número de mortos no México aumentou para 149 e quase 2 mil pessoas poderiam estar infectadas. Nos Estados Unidos, o número de doentes chegou a 50. Os casos em outros países somam 73, incluindo seis no Canadá, um na Espanha e dois na Escócia.

Mais conteúdo sobre:
gripe suína

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.