Espanhol infectado por gripe suína não esteve no México

Autoridades espanholas confirmaram dez casos da doença e outros 70 estão sob investigação

Reuters e Efe,

29 Abril 2009 | 15h10

A Espanha detectou o primeiro caso de gripe suína em uma pessoa que não esteve recentemente no México, embora o paciente tenha tido contato com uma outra pessoa que esteve no país, disseram autoridades do Ministério da Saúde nesta quarta-feira, 29.

 

Veja também:

especial Mapa: veja como a gripe está se espalhando

especialEntenda a gripe suína: perguntas e respostas 

video Infectologista esclarece cuidados que serão tomados 

mais imagens Veja galeria de fotos da gripe suína pelo mundo   

som 'Meios de transportes facilitam a propagação'

documento Folheto oficial do Ministério da Saúde

 

Autoridades espanholas confirmaram dez casos da doença e outros 70 estão sob investigação. Até agora, todos os infectados eram pessoas que haviam visitado recentemente o México.

 

"Os pacientes estão estáveis e todos respondem muito bem ao tratamento", disse a ministra da Saúde, Trinidad Jiménez, ao Congresso.

 

Uma autoridade do Ministério da Saúde disse que o caso de transmissão na Espanha foi resultado de um contato com uma pessoa que esteve recentemente no México.

 

Os dados foram revelados na câmara baixa do Parlamento pela ministra de Saúde e Política Social espanhola, Trinidad Jiménez, que afirmou que os seis casos novos foram na região da Catalunha.

 

Além dos dez casos confirmados no total existem outros 70 em estudo, segundo informou a ministra, que reiterou que nenhum dos pacientes está em estado grave.

 

O Ministério da Saúde alterou em seu site a denominação de "gripe suína" por "nova gripe" seguindo as recomendações da Comissão Europeia (órgão executivo da União Europeia).

 

O organismo europeu considera que a doença causada pelo vírus A/H1N1 não deveria ser chamada de gripe suína, porque não foi detectada em animais, o que poderia estar causando danos desnecessários ao setor suíno.

 

A Comissão Europeia recomenda que se chame a doença de "nova gripe", para evitar consequências "desastrosas e injustificadas" na indústria suína, sobretudo no período de crise atual.

 

No entanto, a Organização Mundial da Saúde (OMS) mantém por enquanto a denominação de gripe suína.

 

O medo de um possível contágio fez com que três pessoas que pretendiam voar nesta quarta-feira, 29, de Madri para Barcelona se negassem a embarcar no mesmo avião em que estavam passageiros que acabavam de chegar de Cancún, no México.

 

Fontes do aeroporto disseram à Agência Efe que os três passageiros protestaram perante o balcão da companhia aérea pelo fato de não terem sido informados de tal circunstância.

 

México, Espanha, Estados Unidos, Canadá, Israel, Reino Unido, Alemanha, Costa Rica e Nova Zelândia confirmaram até agora casos dessa nova gripe.

 

Atualizada às 17h26

Mais conteúdo sobre:
gripe suína

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.