Estado de SP anuncia 206 locais de distribuição de antiviral

Médicos poderão receitar para pacientes que não estão internados mas que fazem parte de grupos de risco

07 Agosto 2009 | 13h38

As secretarias de Saúde do Estado e do município de São Paulo divulgaram as listas de 206 locais - 145 na capital e 61 no interior - onde haverá distribuição do medicamento oseltamivir, o genérico do Tamiflu, recomendado para casos graves de gripe ou para pacientes de grupos de risco.

 

lista Postos de distribuição (AMAs) na capital

lista Postos de distribuição no interior

 

A distribuição na cidade de São Paulo será realizada nas 115 unidades de Assistência Médica Ambulatorial (AMAs), diretamente aos pacientes com fatores de risco. Para os pacientes internados, os hospitais terão acesso ao medicamento nas 25 Supervisões Técnicas de Saúde de segunda a sexta-feira e, se necessário, nos finais de semana, nos cinco plantões regionais da Secretaria Municipal da Saúde.

 

De acordo com novo procedimento adotado pelo Ministério da Saúde nesta semana, agora médicos poderão receitar o oseltamivir mesmo para pacientes que não se encontrem internados. Esses pacientes poderão retirar o remédio nos postos autorizados pelo Estado, desde que apresentem receita e um formulário especial preenchido pelo médico. Esse documento pode ser baixado no site da secretaria estadual de Saúde.

 

No formulário paulista, o médico precisa informar apenas sua identificação e a do paciente. Já o documento adotado no Estado do Rio de Janeiro requer mais dados, como por exemplo quais os fatores de risco que levaram à indicação do oseltamivir ao paciente. A lista é composta por gravidez, obesidade, idade (abaixo de 2 anos ou acima de 65), imunodepressão, residência em casa de repouso e doença crônica, que deve ser especificada.

 

 O remédio só será distribuído se o formulário estiver completamente preenchido, acompanhado de receita com a prescrição do medicamento (inclusive com a dosagem, em se tratando de crianças e adolescentes). Ambos devem ser carimbados e assinados pelo médico.

O paciente, ao receber o remédio, deve receber de volta também a receita. Já o formulário será encaminhado pelo posto de distribuição à Secretaria da Saúde de seu Estado, que vai repor os estoques com base no número de formulários recebidos.

 

Durante o tratamento com o oseltamivir, o paciente deverá ser monitorado pelo seu médico.  Se o paciente precisar ser internado, o médico deve informar ao hospital de destino as condições clínicas, as justificativas da indicação do tratamento e o tempo de utilização do medicamento.

Mais conteúdo sobre:
gripe suína

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.