EUA liberam pílula do dia seguinte para jovens de 17 anos

Pílula não estará disponível imediatamente para as adolescentes, o fabricante deve, primeiro, enviar um pedido

AP,

23 Abril 2009 | 16h47

O FDA, órgão que regula alimentos e medicamentos nos Estados Unidos, permitiu na quarta-feira que mulheres a partir de 17 anos comprem pílulas do dia seguinte em farmácias sem receita.

 

A medida é motivada por decisão de um juiz que, há cerca de um mês, liberou o consumo do anticoncepcional de emergência para meninas a partir dos 17 anos.

 

O juiz Edward Korman afirmou, na sentença, que o governo Bush deixou "que a política, e não a ciência" ditasse suas decisões.

 

Grupos de mulheres comemoraram a decisão do governo, mas conservadores denunciaram a medida como um golpe sobre a supervisão paterna das adolescentes.

 

Organizações de mulheres disseram que a ação da FDA já era há muito tempo esperada, desde que os médicos da própria agência recomendaram que o contraceptivo estivesse disponível sem restrição de idade.

 

Korman ordenou que a FDA permitisse que jovens de 17 anos pudessem tomar o contraceptivo, além de direcionar a agência para determinar se as restrições etárias devem ser retiradas.

 

A última ação da FDA não significa que a pílula estará disponível imediatamente para as adolescentes. O fabricante deve, primeiro, enviar um pedido.

 

"É uma boa indicação de que a agência vai trabalhar para garantir que sua política sobre a pílula do dia seguinte é baseada puramente na ciência", disse Nancy Northup, presidente do Center for Reproductive Rights, que entrou com o processo.

 

Conservadores disseram que foi política que levou à decisão. "Pais deveriam estar furiosos com o descaso da FDA com o direito dos pais com a segurança de seus filhos menores de idade", disse Wendy Wright, presidente do Concerned Women for America.

Mais conteúdo sobre:
pílula do dia seguinte

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.