EUA não conseguem vencer batalha contra obesidade

País criou o programa 'Gente Saudável' para tentar reduzir a obesidade em 15% em 2010

Efe

20 Julho 2011 | 11h01

Atlanta (EUA.) - Nenhum estado dos Estados Unidos conseguiu obter um índice de obesidade em adultos menor que 20% em 2010, sendo que 12 estados chegaram a alcançar 30%, segundo um estudo divulgado nesta terça-feira.

A pesquisa do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) mostra que a prevalência da obesidade continua sendo alta nos EUA, e que em 2010 o país não conseguiu alcançar a meta fixada no programa "Gente Saudável", que visa reduzir o problema em 15%.

"Os níveis de obesidade estaduais ainda são altos. Devemos continuar nossos esforços para reverter esta epidemia", declarou nesta terça o diretor dos CDC, Thomas Frieden.

O relatório apresentou que cerca de 30% dos adultos nos estados do Alabama, Arkansas, Kentucky, Louisiana, Mississipi, Missouri, Oklahoma, Tennessee, Virgínia Ocidental, Michigan, Carolina do Sul e Texas são obesos. No ano 2000 não havia um só estado que tivesse chegado a essa percentagem.

O estado com um nível de obesidade mais alto em 2010 foi o Mississippi, com 34%, enquanto que o Colorado reportou o índice mais baixo - 21%.

A região com o índice de obesidade mais alto foi a do sul do país, com 29,4%, seguida do meio oeste (28,7%), o nordeste (24,9%) e, por último, o oeste (24,1%).

"Vencer a batalha contra a obesidade levará tempo e recursos ", declarou William Dietz, diretor da Divisão de Nutrição, Atividade Física e Obesidade dos CDC.

O funcionário indicou que os esforços devem continuar para fomentar um estilo de vida mais saudável e ativo entre os americanos a fim de combater esta "epidemia".

"Ao fazer isto, não só ajudamos os adultos de hoje, mas também investimos em nossas crianças e netos, para que eles não tenham que herdar esta séria e pesada carga", acrescentou Dietz.

O relatório analisou dados do Sistema de Vigilância de Fatores de Risco Comportamentais (BRFSS, sigla em inglês) que coleta informação de saúde por meio de uma enquete telefônica realizada com cerca de 400 mil entrevistados maiores de 18 anos.

A enquete levou em conta a altura e o peso dos participantes para calcular o índice de massa corporal (IMB) e para estabelecer se uma pessoa é obesa. De acordo com os CDC, um adulto é considerado obeso se apresentar um IMB de 30 ou maior.

Mais conteúdo sobre:
obesidade

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.