FDA/Divulgação
FDA/Divulgação

EUA propõem novos anúncios com advertências em maços de cigarro

Imagens de corpos, vítimas de câncer e pulmões buscam reduzir vício; medida valerá em 2012

AP

10 Novembro 2010 | 17h25

RICHMOND - O governo americano propõe novos anúncios com advertências em maços de cigarro, que incluem imagens de corpos, vítimas de câncer e pulmões de fumantes, entre outras, para ajudar a reduzir o vício em nicotina no país. A meta é divulgar, até o fim de 2012, fotos e desenhos gráficos acompanhados de frases como "Fumar pode matar", "Cigarros causam câncer" e "Fumaça de tabaco pode prejudicar seus filhos".

A nova publicidade faz parte de um esforço da agência de vigilância sanitária Food and Drug Administração (FDA) e do Departamento de Saúde e Serviços Humanos para inibir o fumo, responsável por cerca de 443 mil mortes por ano nos EUA.

A agência vai selecionar nove de 36 rótulos até junho de 2011, depois de revisões da literatura científica, comentários do público e resultados de um estudo com 18 mil pessoas. Os fabricantes terão, então, 15 meses para começar a usar os novos rótulos, que devem ilustrar as imagens em metade de seu espaço, na frente e no verso. As advertências também deverão representar 20% das propagandas.

O número de americanos que fumam caiu dramaticamente nos últimos 40 anos, mas essa queda foi interrompida recentemente. Cerca de 46 milhões de adultos no país, ou 20,6% da população, consomem cigarros - entre estudantes do ensino médio, por exemplo, esse índice é de 19,5%.

O novo plano de prevenção ao tabagismo faz parte da lei aprovada em junho de 2009 que autoriza a FDA a regular o fumo, incluindo comercialização, rotulagem com orientações, proibição de determinados produtos e limitação de nicotina. A lei não permite que a agência proíba inteiramente a nicotina ou o tabaco.

"Hoje, a FDA dá um passo crucial para diminuir a enorme quantidade de doenças e mortes causadas pelo fumo, ao propor uma alteração dramática de como os maços de cigarro são apresentados", disse em comunicado a comissária da FDA Margaret Hamburg. "As consequências do tabagismo à saúde serão evidentes cada vez que alguém pegar uma dessa embalagens", completou.

Mais conteúdo sobre:
cigarro fumo nicotina tabaco FDA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.