EFE
EFE

Filhote de mamute da Era do Gelo é exposto em museu europeu

Animal morreu há 42 mil anos na Sibéria, com apenas um mês de vida; restos mortais praticamente intactos foram encontrados por um pastor em 2007

EFE

26 Maio 2014 | 21h07

Um filhote de mamute da Era do Gelo, que morreu há 42 mil anos na Sibéria quando tinha só um mês de vida, será exposto no Museu de História Natural de Londres pela primeira vez na Europa, segundo informou nesta segunda-feira, 26, o museu.

A fêmea, chamada Lyuba, que significa "amor" em russo, foi descoberta por um pastor de renas em 2007 e é considerada o exemplar desta espécie mais completo e melhor conservado.

De tamanho um pouco maior que um cachorro, con 1,3 metros de altura e 50 quilos, Lyuba formará parte da exposição "Mamutes: Gigantes da Era do Gelo", que será inaugurada nesta sexta-feira no museu inglês.

É a primeira vez que o animal sai da Rússia, para viajar à capital britânica em uma caixa devidamente acondicionada. Lyuba permaneceu exposta desde que foi descoberta no Museu de Shemanovsky (norte da Rússia).

O animal mantém seus órgãos internos intactos e só apresenta um defeito na cauda, que tinha sido mordida por animais.

Os especialistas acreditam que Lyuba se afogou enquanto tentava conseguir água e caiu no barro, que depois se solidificou, permitindo assim sua boa conservação até que o pastor siberiano Yuri Khudi e seus filhos a encontraram enquanto buscavam lenha na margem do Rio Yuribei.

O paleontólogo Adrian Lister, especialista em mamutes do Museu de História Natural de Londres, disse que seu aspecto é tão "real" que parece que "a qualquer momento poderá andar".

Mais conteúdo sobre:
Ciência Mamute Museu

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.