Hwaja Goetz/Divulgação
Hwaja Goetz/Divulgação

Fóssil encontrado no Brasil revela 100 milhões de anos de estagnação evolutiva

Ancestral de inseto que hoje habita regiões da Ásia e África foi descoberto em área de calcário no Nordeste

estadão.com.br,

03 Fevereiro 2011 | 18h20

SÃO PAULO - Pesquisadores descobriram um ancestral de 100 milhões de anos de um grupo de insetos carnívoros, semelhantes a grilos, que vivem hoje no sul da Ásia, na região da Indochina e no Norte da África. A nova descoberta, feita em uma região com ocorrência de fósseis de calcário no Nordeste do Brasil, corrige a classificação errada de um outro fóssil deste tipo e revela que o gênero sofreu pouca mudança evolucionária desde o Período Cretáceo, época dos dinossauros, pouco antes da dissolução do supercontinente Gondwana.

 

Embora o fóssil seja diferente dos grilos de hoje em dia, a maior parte de suas características permanece igual, o que revela que o gênero pode ter passado por um período de estagnação evolutiva de cerca de 100 milhões de anos.

 

O resultado completo da descoberta pode ser lido aqui, em inglês.

Mais conteúdo sobre:
fóssil Brasil inseto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.