Governo adia vacinação contra pólio por causa da gripe

A segunda etapa da campanha nacional de imunização tem a meta de atingir cerca de 14,7 milhões de crianças

13 Agosto 2009 | 16h45

A segunda etapa da Campanha Nacional de Vacinação contra Poliomielite será realizada no dia 19 de setembro, embora estivesse inicialmente prevista para 22 de agosto. A decisão tomada pelo Ministério da Saúde tem o objetivo de evitar uma sobrecarga ainda maior nos serviços de atenção básica, porta de entrada para os pacientes com suspeita de gripe suína. O ministério diz que a mudança na data não comprometerá a saúde das crianças nem o efeito protetor da vacina aplicada na primeira etapa da campanha, realizada em 20 de junho.

 

 

“Embora nem todos os Estados apresentem sobrecarga no sistema de saúde por causa da Influenza A, optamos por adiar a campanha de vacinação em todo o País. Isso porque, quando realizada simultaneamente em todos os Estados, criamos uma rede de proteção e garantimos uma maior imunidade de grupo”, explica o secretário de Vigilância em Saúde do ministério, Gerson Penna, em nota divulgada pelo governo.

 

A previsão do Ministério da Saúde é que ocorra uma queda gradativa no número de casos da nova gripe, especialmente com o fim do inverno no País. Com a redução da demanda, a segunda etapa da vacinação infantil poderá ser realizada sem qualquer prejuízo, em setembro, esperam as autoridades.

 

A segunda etapa da campanha nacional de imunização tem a meta de atingir cerca de 14,7 milhões de crianças - o que representa 95% das crianças menores de cinco anos. Em torno de 115 mil postos de vacinação, em todo o País, estarão envolvidos no processo. Serão aproximadamente 350 mil pessoas trabalhando na campanha, que contará com a utilização de 40 mil veículos (terrestres, marítimos e fluviais). A primeira etapa foi realizada em 20 de junho e atingiu 95,7% do público alvo.

 

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), não há circulação do vírus da poliomielite no Brasil e em toda a América Latina. Esse resultado é uma consequência das campanhas de vacinação realizadas desde a década de 1980. Mesmo assim, ainda é importante vacinar as crianças.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.