1. Usuário
Assine o Estadão
assine


Governo do Rio de Janeiro nega qualquer suspeita de Ebola

Fábio Grellet - O Estado de S. Paulo

20 Agosto 2014 | 17h 43

Desde a semana passada circulavam boatos de que uma pessoa egressa da África estaria internada com suspeita de contaminação

RIO - Para dirimir boatos de que existem pessoas com suspeita de contaminação pelo Ebola internadas em unidades de saúde do Rio de Janeiro, a Secretaria Estadual de Saúde do Rio divulgou nota em que afirma não haver nenhum registro de suspeita ou confirmação de contaminação pelo vírus no Estado do Rio e no Brasil.

"Atualmente, os casos de doença pelo vírus Ebola foram identificados apenas em Serra Leoa, Libéria, Guiné; tendo sido notificados, nestes países, 2.127 casos e 1.145 óbitos desde o início do ano de 2014. Este é o maior surto da doença no mundo, com letalidade de aproximadamente 68%. A possibilidade de disseminação para outros continentes continua sendo considerada baixa", afirma a nota.

"O Rio de Janeiro está trabalhando de acordo com determinações do Ministério da Saúde para manter as unidades de saúde em alerta para a possível identificação de sintomas relacionados ao vírus Ebola. Um plano de contingência já foi elaborado em parceria com as secretarias municipais de Saúde, Corpo de Bombeiros e Fiocruz. É importante ressaltar, no entanto, que, pelas características da transmissão do vírus, assim como pelo seu comportamento clínico, a possibilidade de disseminação para outros continentes no momento atual é baixa", continua a secretaria.

"A Nigéria apresentou apenas dez casos da doença, todos de pessoas que tiveram contato com o primeiro paciente, que havia chegado no país, saído da Libéria. Portanto, a Organização Mundial da Saúde considera que não há circulação do vírus na Nigéria e que todos os casos apresentados já foram isolados", diz na nota Alexandre Chieppe, superintendente de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Saúde.

Segundo a pasta, "em caso de suspeita de paciente com o vírus, ele será encaminhado pela unidade de emergência em que for atendido para uma unidade de saúde de referência para isolamento e início dos cuidados médicos adequados. Todo caso suspeito deve ser notificado imediatamente às autoridades de saúde das Secretarias municipais, Estaduais e a Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde".

Desde quinta-feira passada (14) circulavam boatos de que uma pessoa egressa do continente africano estaria internada numa unidade de saúde de Botafogo, na zona sul, com suspeita de contaminação pelo Ebola.