Governos da UE concordam em buscar vacina contra gripe suína

Minsitra da Saúde da República Checa diz que pandemia é provável, mas que não será necessariamente letal

Associated Press,

30 Abril 2009 | 16h19

Os países da União Europeia concordaram em trabalhar imediatamente com a indústria farmacêutica para desenvolver uma vacina-piloto contra a gripe suína e alertaram contra o pânico, dizendo que, embora a pandemia seja provável, ela não será, necessariamente, altamente letal.

 

Veja também:

Brasil tem 36 casos em observação; 2 são suspeitos

Obama: EUA não fecharão fronteiras com México

Irlanda confirma 1º caso; Espanha e Reino Unido têm mais seis

especial Mapa: veja como a gripe está se espalhando

especialEntenda a gripe suína: perguntas e respostas 

video Infectologista esclarece cuidados que serão tomados 

mais imagens Veja galeria de fotos da gripe suína pelo mundo   

som 'Meios de transportes facilitam a propagação'

documento Folheto oficial do Ministério da Saúde 

 

A ministra da Saúde da República Checa, Daniela Filipova, cujo país detém a Presidência da UE, concordou em assumir uma postura conjunta contra a disseminação do vírus e protegera  saúde dos 500 milhões de cidadãos da União.

 

Ela disse que os ministros de Saúde do bloco concordaram em intensificar a partilha de dados sobre o tratamento da gripe e medidas preventivas, além de "desenvolver uma vacina contra o novo vírus influenza, sem demora".

 

Depois de presidir a reunião de ministros de Saúde da UE, Daniela disse que uma epidemia global é "provável".

 

"Mas não há motivo para pânico", afirmou, em entrevista coletiva. "Devemos ser cuidadosos. Devemos ser vigilantes... para evitar uma disseminação ainda maior desse vírus. Há uma pandemia em potencial, mas isso não significa que será uma pandemia altamente letal".

 

 

Após a reunião, a França falhou em obter o apoio do restante da UE para proibir os voos do México, e a Itália não conseguiu convencer os demais países do bloco a criar um estoque comum de drogas antivirais.

A agência europeia de prevenção de doenças, baseada em Estocolmo, disse que o continente nunca antes esteve em melhores condições para enfrentar uma pandemia.

Mais conteúdo sobre:
gripe suína

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.