Alexandre Lombardi/Divulgação
Alexandre Lombardi/Divulgação

Greve por falta de pagamento paralisa hospital psiquiátrico em Sorocaba

Vera Cruz atende 350 pacientes e funciona com apenas 30% dos servidores em seus postos; associação diz que atraso se deve à falta de repasse da prefeitura

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

16 Novembro 2016 | 13h09

SOROCABA - Alegando falta de pagamento dos salários de outubro, cerca de 200 funcionários do hospital psiquiátrico Vera Cruz entraram em greve na manhã desta quarta-feira, 16, em Sorocaba, no interior de São Paulo. A unidade atende 350 pacientes e, por causa da paralisação, está funcionando com apenas 30% dos servidores em seus postos.

Por volta das 6 horas, os funcionários fizeram uma manifestação em frente ao hospital, dando início à paralisação.

A Associação Paulista de Gestão Pública (APCP), que administra a unidade, informou que o atraso no pagamento se deve à falta de repasse de verbas pela prefeitura nos últimos dois meses. O hospital está sob gestão municipal.

De acordo com o Sindicato Único dos Empregados em Estabelecimentos de Saúde de Sorocaba e Região (Sinsaúde), a greve foi comunicada na sexta-feira, 11, à prefeitura e à administradora do hospital. Uma assembleia, à tarde, vai decidir se os funcionários das 15 Residências Terapêuticas (RT) de Sorocaba também aderem à greve.

A prefeitura informou que vai depositar o montante devido nesta quarta-feira e que considera a greve ilegal.

Fechamento. O Vera Cruz, maior hospital psiquiátrico da região, passa por um processo de desinstitucionalização e deve ser fechado até o fim deste ano. Os pacientes estão sendo transferidos para as residências terapêuticas. A APGP assinou em fevereiro deste ano, com o município, contrato de gestão do hospital por dez meses, no valor de R$ 10,7 milhões.

Mais conteúdo sobre:
São Paulo Saúde

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.