Gripe suína: MG também impõe restrição a grávidas

Pela manhã, o governo do Rio de Janeiro decidiu dar licença a todas as servidoras grávidas até o dia 28

IVANA MOREIRA, Agencia Estado

12 Agosto 2009 | 19h03

OMS reafirma recomendação de uso de antiviral contra H1N1Minas Gerais é mais um Estado a adotar medidas para proteger as gestantes, um dos grupos considerados de maior vulnerabilidade ao vírus da Influenza A (H1N1), a chamada gripe suína. A Secretaria de Estado da Educação decidiu afastar todas as professoras e servidoras da rede pública que estiverem grávidas por tempo indeterminado.

 

Temor de gripe H1N1 faz RJ e MG transferirem servidoras grávidas

Rio libera grávidas do trabalho por causa da gripe suína

SP restringe trabalho de grávidas por causa da gripe suína

 

  A Secretaria de Educação de Belo Horizonte seguiu o exemplo e adotou a mesma medida na rede municipal. A prefeitura da capital mineira também afastará as gestantes que trabalham no atendimento a pacientes em postos de saúde e hospitais.

Pela manhã, o governo do Rio de Janeiro decidiu dar licença a todas as servidoras grávidas até o dia 28. E ontem, o Estado de São Paulo fez a recomendação para que hospitais e demais serviços de saúde transfiram temporariamente funcionárias grávidas para outros setores, onde não haja contato com pacientes portadores de gripe.

Mais conteúdo sobre:
gripe suína Brasil grávidas MG

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.