Grupo protesta em audiência pública com ministro da Saúde

Houve reação dos seguranças do Senado e pelo menos um participante da manifestação ficou ferido

Lígia Formenti, O Estado de S.Paulo

05 Julho 2016 | 15h55

BRASÍLIA - Confusão e violência marcaram a participação do ministro da Saúde, Ricardo Barros, em uma audiência pública no Senado para discutir a medida provisória que renova o prazo para médicos estrangeiros atuarem no País. 

Integrantes do grupo Democracia em Saúde iniciaram um protesto tão logo o ministro chegou ao plenário. Os gritos de "Barros golpista" e "Tirar o dinheiro do SUS faz mal à saúde" duraram pouco. Seguranças tentaram arrancar cartazes do grupo, formado por cerca de vinte pessoas. Um deles, que não quis ter seu nome revelado, resistiu em entregar o cartaz. 

No confronto com seguranças, bateu seu rosto na parede e ficou com escoriações. As portas da sala foram fechadas, as pessoas impedidas de entrar ou sair do auditório. O ministro fez uma participação relâmpago, de menos de 10 minutos e saiu assim que os manifestantes deixaram os corredores. 

Barros criticou a ação dos seguranças. Afirmou que a manifestação havia sido pacífica. "Espero que isso não ocorra amanhã". O ministro tem agendada para esta quarta uma audiência no Senado.

O confronto ocorreu quando manifestantes já se programavam para deixar o plenário. Para evitar que o integrante ferido fosse preso, o grupo fez um cordão em volta dele.

Mais conteúdo sobre:
SUS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.