Amanda Perobelli/Estadão
Amanda Perobelli/Estadão

Guarulhos registra mais duas mortes de macacos por febre amarela

Animais foram encontrados no começo de dezembro, um na região do Cabuçu e outro em uma área pertencente ao município do Parque Estadual da Cantareira

Ludimila Honorato, O Estado de S.Paulo

27 Dezembro 2017 | 01h09

SÃO PAULO - A prefeitura de Guarulhos, região metropolitana de São Paulo, confirmou nesta terça-feira, 26, que a febre amarela foi a causa da morte de dois macacos encontrados nos dias 10 e 11 de dezembro. Os testes foram realizados pelo Instituto Adolfo Lutz. A prefeitura ressalta que os macacos não transmitem a doença ao seres humanos.

++ Prefeitura de SP inicia vacinação contra febre amarela na zona sul

No dia 10, um macaco foi encontrado morto na rua, na região do Cabuçu, e outro foi achado no dia seguinte em uma área pertencente ao município do Parque Estadual da Cantareira.

Ao todo, a cidade conta com três mortes de macacos devido à doença.​ O primeiro caso foi de um animal encontrado em um pesqueiro na estrada dos Veigas, no Bairro do Marmelo, no dia 28 de novembro.

++ Sobe para 10 o número de mortes de macacos por febre amarela na capital

Na época, a Secretaria de Saúde informou que, diante do diagnóstico positivo, intensificaria a vacinação na região, além de realizar ações preventivas. Até o momento, mais de 240 mil pessoas foram vacinadas preventivamente em Guarulhos contra a febre amarela.

++ Jundiaí registra primeiro caso de febre amarela em humano

A secretaria recomenda que a população mantenha distância das matas e se vacine em uma das 27 Unidades Básicas de Saúde (UBS) da cidade. Os endereços e telefones dos postos de vacinação contra a febre amarela estão no site da prefeitura de Guarulhos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.